Campanha Salarial 2017: Governo descarta negociação de reajuste salarial

A informação foi anunciada em reunião dia 12 de junho, com representantes de entidades do funcionalismo federal.

Assessoria
Publicada em 19 de junho de 2017 às 09:26

Alegando falta de previsão orçamentária, o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão descarta abertura de negociação de reajuste salarial a nenhuma categoria de servidores públicos federais. A justificativa é a nefasta Emenda à Constituição n° 95/2016 (antiga PEC N° 55/16), que limita por 20 anos os gastos públicos. A informação foi anunciada em reunião dia 12 de junho, com representantes de entidades do funcionalismo federal.

Participaram da reunião os secretários-gerais Sérgio Ronaldo da Silva, da Condsef/Fenadsef, e Oton Pereira Neves, do  Sindsep-DF, além de representantes da Fenasp e da FNTSS. Representando o governo, o Secretário-Adjunto de Gestão de Pessoas, Fernando Antônio Braga de Siqueira Júnior, e o Diretor do Departamento de Relações de Trabalho no Serviço Público, José Borges de Carvalho Filho.

Segundo o Ministério do Planejamento, em cumprimento ao teto estabelecido pela Emenda n° 95/2016, somente após o cálculo dos gastos com abatimento do dispêndio com aumentos já concedidos até 2019 a diversas carreiras do funcionalismo que celebraram convênio com o governo por três anos, com progressões automáticas de servidores e com pagamento de ações judiciais, o governo poderá afirmar se haverá sobra de recursos para negociar reajuste salarial. 

Mesmo assim, a CONDSEF/FENADSEF juntamente com o Fórum de Entidades continuam trabalhando incansavelmente para que o governo abra as negociações para garantir o reajuste salarial dos servidores públicos federais. A pauta de reivindicação da Campanha Salarial de 2018, foi entregue ao Governo em fevereiro de 2017.

Comentários

  • 1
    image
    Gislene 19/06/2017

    Verdade Domingos tudo que vc falou, e ainda com muitos funcionários que estão passando pra folha da união e ele não esta dando o aumento prometido com a economia destes servidores.

  • 2
    image
    DOMINGOS SÁVIO FARIAS 19/06/2017

    Se a esfera federal estar desta forma, imagina o estado, esse confucio fica só dizendo, Rondônia arrecada cada vez mais,  isto e sinal da boa produção agrícola, Cadê a divisão com a sociedade, aonde já se viu um estado arrecadar Bilhões mensais, e o funcionalismo publico não tem nem Hum centavo de aumento, O processo de industrialização não acontece, o desemprego toma de conta, o povo de classe menos favorecida sofre, o dinheiro fica escasso, os assaltos aumentam, os presídios super lotados, o preço dos alimentos disconforme, o pobre não come mais carne devido a alta do preço. Alguma anormalidade esta acontecendo.

Envie seu Comentário

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook