Carnê para pagamento do IPTU 2014 já está disponível no portal da Semfaz

Conforme Marcelo Siqueira, 80 mil contribuintes estão cadastrados para pagar IPTU no município de Porto Velho.

Publicada em 07 de January de 2014 às 12:08:00

A partir do próximo dia 15 de janeiro, os contribuintes de Porto Velho passam a receber em casa os carnês para pagamento do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) de 2014. Quem garante é o secretário municipal de Fazenda, Marcelo Siqueira. De acordo com Siqueira, a 2ª via dos carnês e cotas para parcelamentos já estão disponíveis no site da Secretaria Municipal de Fazenda (Semfaz). É só acessar www.semfazonline.com. “Com o número da inscrição imobiliária que está no carnê entregue o ano passado, o contribuinte poderá retirar pela internet e efetuar o pagamento, caso não queira esperar o material impresso chegar até a sua residência”, explica o secretário.

Marcelo Siqueira também informa que a prefeitura está concedendo 20% de desconto ao contribuinte que pagar a cota única (valor total) do IPTU até 31 de janeiro. Para quem optar em efetuar o pagamento do valor total do imposto até 28 de fevereiro, o desconto será de 10%. Os que deixarem para quitar o IPTU até o final de março não terão desconto. Alerta no entanto, que a partir do final de março serão cobrados juros e multas.

Aos que pretendem pagar o imposto de forma parcelada, Siqueira explica que a prefeitura está parcelando em até dez vezes, desde que a primeira cota seja quitada até 31 de janeiro. Nesse caso, o contribuinte também poderá acessar o portal da Semfaz na internet e fazer o parcelamento com o número da inscrição imobiliária que está no carnê entregue em 2013.

Arrecadação
Conforme Marcelo Siqueira, 80 mil contribuintes estão cadastrados para pagar IPTU no município de Porto Velho. Com isso, a expectativa é que sejam arrecadados em torno de R$ 12 milhões, recursos que serão aplicados prioritariamente na infraestrutura da cidade. Um dos objetivos para 2014, segundo o secretário, é reduzir a inadimplência no pagamento do tributo, que em 2013 chegou a 60%.

Por Augusto José