Hermínio Coelho apoia ocupação de taxistas na Câmara de Porto Velho por regularização do Táxi Compartilhado

Parlamentar reforçou que o serviço é um método criativo para a sobrevivência profissional dos motoristas de táxi.

Assessoria
Publicada em 20 de março de 2018 às 15:01
Hermínio Coelho apoia ocupação de taxistas na Câmara de Porto Velho por regularização do Táxi Compartilhado

O deputado Hermínio Coelho (PDT), foi o primeiro e provavelmente único parlamentar a declarar apoio irrestrito ao serviço de Táxi Compartilhado, recentemente vedado pela Justiça de Rondônia.

Por isso, o pedetista corrobora com a ocupação da Câmara Municipal de Porto Velho patrocinada pelos profissionais veteranos que, de uma hora para outra, ficaram sem a possibilidade de enfrentar a concorrência desleal que se fixou na Capital principalmente, após a entrada no aplicativo Uber no sistema de transporte.

“Os motoristas querem apenas a regularização do serviço e têm todo o direito de exigi-lo. Após a decisão do Poder Judiciário, o prefeito, que já demonstrou ser contra os trabalhadores, ganhou o respaldo perfeito para perseguir os taxistas com apreensão de veículos e multas”, disse o deputado.

Os taxistas querem que a Câmara de Vereadores aprove um Projeto de Lei regulamentando o serviço em Porto Velho.

“E, diga-se de passagem, o Táxi Compartilhado é aprovado pela grande maioria da população por ser um transporte barato com tarifa de R$ 5,00, com ar-condicionado, limpo e seguro. Os taxistas foram ignorados pela prefeitura e também pela Câmara, por isso tiveram de recorrer a medidas extremas para que pudessem externar suas reivindicações”, asseverou Hermínio.

Com a bagunça no transporte público de Porto Velho sem o devido controle e fiscalização de outros meios de locomoção, a atividade desempenhada pelos taxistas foi inviabilizada. Após a instalação do Uber, a categoria chegou praticamente à extinção e o Táxi Compartilhado surgiu como método criativo a fim de conceder sobrevivência aos motoristas de táxi.

“Apoiamos completamente a movimentação dos taxistas. O Uber tirou 80% dos passageiros dos táxis que, até achar uma solução, chegaram a passar fome. A categoria é pioneira no transporte. Os taxistas estão aqui há mais tempo do que os ônibus, Uber e tudo o mais. Eles não podem ser extintos, ignorados e desrespeitados dessa forma”, pontuou o parlamentar.

Hermínio conta, ainda, que os taxistas querem usufruir apenas 10% dos passageiros que utilizam o transporte público coletivo.

“Essa porcentagem não ‘quebra’ ninguém e faz com que seja possível para os taxistas se manterem com dignidade fazendo o transporte compartilhado”, acrescentou.

A pressão é grande por parte das empresas envolvidas para retirar os taxistas do sistema de transporte.

“O Consórcio SIM, por exemplo, que trata mal a população com ônibus velhos e de péssima qualidade, pressiona e persegue os motoristas de táxi junto com a prefeitura. Não podemos tolerar isso!”, concluiu.

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie seu Comentário

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook