Influenciadoras digitais unem-se à OAB/RO na campanha ‘16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher’

As influenciadoras digitais Janaína Britto, Ariany Rollim, Renata Vannier, Thaís Lourenzzo, Valquíria Rauber, Emilli Sousa e a advogada Debora Honorato juntaram-se à entidade com o objetivo de promover o debate.

Soma Comunicação 
Publicada em 06 de dezembro de 2017 às 16:42

Trabalhar para defender os direitos da sociedade, esse é um dos lemas da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Rondônia (OAB/RO), que participa do movimento mundial ‘16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher’. Nesta semana, a Seccional ganhou um reforço de peso. As influenciadoras digitais Janaína Britto, Ariany Rollim, Renata Vannier, Thaís Lourenzzo, Valquíria Rauber, Emilli Sousa e a advogada Debora Honorato juntaram-se à entidade com o objetivo de promover o debate, denunciar as várias formas de violência e destacar o crescimento das políticas públicas de amparo e prevenção das vítimas.

O movimento ‘16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher’ é realizado anualmente de 25 de novembro – Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres – a 10 de dezembro – Dia Internacional dos Direitos Humanos.

“A OAB, enquanto entidade que representa o cidadão e a cidadania, não pode tolerar a prática repulsiva da violência que vitima milhares de mulheres todos os dias. As mulheres têm vencido diariamente as barreiras profissionais e de preconceitos, mas ainda há muito que se fazer para mudarmos o cenário preocupante do índice de violência contra a mulher”.

A vice-presidente da Seccional, Maracélia Oliveira, pontua que a Seccional tem sido protagonista em todas as ações e políticas de tratamento isonômico entre mulheres e homens. “Isso seguramente passa pelo combate à violência doméstica, uma vil realidade que coloca o Brasil no quinto lugar entre os países que mais matam mulheres”, assevera.

Segundo a presidente da Comissão da Mulher Advogada (OAB Mulher), Renata Fabris, a missão da comissão é ajudar na promoção de melhor qualidade de vida da mulher, na família e na sociedade. “A vida nem sempre é um conto de fadas. Nenhuma mulher é imune à violência. Mas temos que nos unir a esta campanha, para enfrentarmos essa triste realidade”.

Para Ariany, a violência contra a mulher ainda é um tabu na sociedade. “O pior é que ela acontece das mais diversas formas, incluindo psicologicamente, e diferentes classes sociais”. Janaína comenta sobre a importância de se debater o assunto. “Infelizmente, a violência contra a mulher acontece em qualquer lugar e as mulheres precisam ter coragem para falar e lutar contra isso”.

Durante os 16 dias de ativismo, a OAB/RO utiliza seus canais de comunicação para orientar a população sobre as diversas formas de violência contra as mulheres, incentivando a denúncia de agressões e o combate à violência, que podem ser feitos por meio do telefone 180.

 

Sobre a campanha

Em 1991, 23 mulheres de diferentes países, reunidas pelo Centro de Liderança Global de Mulheres (Center for Women’s Global Leadership – CWGL), lançaram a campanha dos 16 dias de ativismo, com o objetivo de promover o debate e denunciar as várias formas de violência contra as mulheres no mundo. As participantes escolheram um período de significativas datas históricas, marcos de luta das mulheres, iniciando a abertura da campanha no dia 25 de novembro – declarado pelo I Encontro Feminista da América Latina e Caribe (em 1981) como o dia Internacional de Não Violência Contra as Mulheres.

“Hoje as mulheres denunciam muito mais do que antigamente, por causa de campanhas como essa. Existe um amparo. Existe um para aonde ir depois disso tudo. Também é importante dizer que é fácil julgar quando se está de fora, mas muitas mulheres são prisioneiras dessa situação”, salienta Emilli.

*Produção: Soma Comunicação;

*Maquiagem: Mike Oliveira.  

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie seu Comentário

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook