Quem aliena o povo?

Recentemente circulou pelas redes sociais uma pesquisa dando conta de que o Brasil tem o terceiro povo mais idiota do mundo.

Por Professor Nazareno*
Publicada em 04 de agosto de 2017 às 09:46
Quem aliena o povo?

Recentemente circulou pelas redes sociais uma pesquisa dando conta de que o Brasil tem o terceiro povo mais idiota do mundo. Claro que se trata de uma grande mentira. Primeiro por que é impossível se medir o grau de estupidez de uma população, segundo por que se isso fosse possível, provavelmente nós ficaríamos em primeiro lugar sem nenhum concorrente. Com mais de 206 milhões de habitantes, o Brasil se não tem o povo mais imbecil e palerma do mundo, certamente conta com uma grande parcela de cidadãos totalmente alienados, despolitizados, babacas e patetas. Não há país com povo mais estúpido. Isso sem levar em conta o fato de que grande parte desses mesmos cidadãos é desonesta e como perfeitos bocós abrem mão da participação política e sem reclamar colocam o seu destino nas mãos de políticos ladrões, corruptos e desonestos.

O processo de imbecilização dos brasileiros já vem de muito tempo. A principal mola propulsora desse fenômeno atípico e sinistro está no péssimo sistema de educação do país, reconhecidamente como um dos piores do mundo. Aqui muitas pessoas mal sabem ler e escrever o próprio nome após o término do Ensino Médio, por exemplo. São analfabetos funcionais que fazem do jeitinho e da gambiarra uma filosofia de vida. Não sabem o que se passa de bom nos principais países do mundo e desconhecem as mais simples regras de civilidade e relacionamentos sociais. Para se comprovar esse anômalo comportamento social, basta ver os comentários que são postados nas redes sociais todos os dias. Além dos absurdos erros gramaticais, típicos dessa gente mal formada e informada, o festival de ataques aos mais elementares direitos à pessoa é uma constante.

A mídia deve vir em segundo lugar nesse demoníaco processo de tornar apalermados os nossos cidadãos. Os programas da televisão, principalmente, são um convite à idiotização geral. Do BBB às novelas, o que se observa é uma apelação grotesca ao cidadão, desprovido de leitura de mundo e conhecimentos, para “participar” daquele festival de horrores. Os telejornais geralmente são tendenciosos e só mostram o lado idílico e mentiroso do país e de seus parvos habitantes. A verdade e a discussão não são incentivadas nem discutidas. O rádio também participa do caos. Músicas de péssima qualidade e programas que não valem a pena escutar são uma constante. Locutores e disc-jóqueis ou DJ’s mal intencionados, e também alienados, comandam programas cujo único objetivo é tornar mais idiotas ainda os coitados dos ouvintes. 

A Igreja, o futebol, o carnaval e outras festas populares como o São João e as cavalgadas participam também muito ativamente do processo. A crença num ser imaginário e superior encanta a todos, principalmente os mais pobres, como num passe de mágica. A promessa de enriquecimento ainda em vida é uma isca infalível em que muitos creem. Já o futebol é uma paixão nacional. Pessoas até inteligentes e sociáveis deixam seus afazeres só para discutir as preferências de seu time preferido. E o que dizer de uma cidade suja, fedorenta, podre e imunda como Porto Velho que coloca em fevereiro quase 30 por cento de sua população no meio das ruas só para beber cachaça e muitos deles até a se drogar publicamente? O Congresso Nacional e os políticos de um modo geral representam muito bem este povo tantã e demente. Será que existe alguma dúvida por que um presidente maculado pelo roubo e pela corrupção ainda nos governa?

*É Professor em Porto Velho.

Comentários

  • 1
    image
    paulo 04/08/2017

    parabéns por essa: excelente matéria

  • 2
    image
    edelcio vieira 04/08/2017

    como sempre, o professor falou e disse.

  • 3
    image
    Denilton 04/08/2017

    Achei alguem que pensa igual eu e com uma vantagem pode publicar.

  • 4
    image
    Luiz Carlos Henriques de Souza 04/08/2017

    Ótimo texto, meu caro professor! Mas, se me permite um reparo, chamaria Brasil: o reino do prazer! E adicionaria mais um responsável pela idiotia coletiva, se me permite: as famílias! Aliás, "o meu responsável preferido". Desde cedo a família impõe medo aos seus filhos, logo quando começam a engatinhar: "não mexe ai; vou te colocar de castigo; vou te bater; ali tem um bicho, um velho que pega criança"... que vai minando a curiosidade, a capacidade interagir com os ambientes, de explorar e aprender. Já em tenra idade os filhos recebem celulares, tablets... que facilmente acessam, sem qualquer critério, todo o tipo de lixo prazeroso possível da época moderna, como as pizzas, os sorvetes, os refrigerantes, os jogos, as informações, todos inúteis para a vida, estruturando assim um processo de imbecilidade e doenças que veio pra ficar.

Envie seu Comentário

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook