Reativação da marcenaria reduz gastos com a fabricação e manutenção de móveis do governo de Rondônia

Benício explicou que oficialmente a marcenaria funciona das 7h30 às 13h30, mas dependendo da demanda eles trabalham até a noite para que a entrega aconteça dentro do prazo.

Texto: Veronilda Lima Fotos: Esio Mendes
Publicada em 13 de março de 2018 às 13:44
Reativação da marcenaria reduz gastos com a fabricação e manutenção de móveis do governo de Rondônia

Benício Ferreira destaca importância da reativação da marcenaria, onde ele tomou gosto pela profissão trabalhando em mais de três décadas

Após vivenciar uma fase de esquecimento, a marcenaria do governo estadual, em funcionamento há cerca de 40 anos na rua Major Amarante com a avenida Pinheiro Machado, em frente à Assembleia Legislativa, em Porto Velho, tem contribuído com a economia significativa de gastos públicos, com a fabricação e manutenção de móveis e utensílios em madeira. Conforme Benício Ferreira, que trabalha no local há 35 anos, a reativação da Divisão de Serviços Gerais (DSG), nome oficial da marcenaria, ocorreu no governo Confúcio Moura para pequenos reparos, reforma ou manutenção e a fabricação de móveis, como mesas, bancos, pergolados, cadeiras, portas, entre outras peças que têm como matéria-prima a madeira.

Benício explicou que oficialmente a marcenaria funciona das 7h30 às 13h30, mas dependendo da demanda eles trabalham até a noite para que a entrega aconteça dentro do prazo. Ao todo, são três funcionários do estado que desempenham a atividade de marceneiro, incluindo Benício, que tomou gosto pela profissão com o exercício do dia a dia, além de dois reeducandos do sistema prisional, como parte de parceria firmada com a Secretária de Estado da Justiça (Sejus).

Para a fabricação dos móveis e utensílios a marcenaria conta com 13 máquinas, do tipo serra circular, torno, prensa, tupia e outras ferramentas utilizadas na modelação da madeira, que é doada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Ambiental (Sedam) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), geralmente fruto de apreensões.

De acordo com a diretora-executiva da Superintendência Estadual de Gestão de Gastos Públicos Administrativos (Sugespe), Duda Vales, a reativação da marcenaria tem sido importante para a otimização dos gastos por atender a todas as secretarias e órgãos do governo. Ela citou como exemplo a fabricação de algumas peças, como cômoda e porta da Residência Oficial no Complexo Rio Madeira, que é a sede administrativa do governo estadual (CPA); pergolado do CPA, barras de madeira para aquecimento ou alongamento no Espaço Alternativo; mesas e bancos para a Creche da Vovó; e brinquedos do parquinho do Complexo Poliesportivo Deroche, reinaugurado em março de 2013.

Atualmente são trabalhados a fachada do novo prédio da Biblioteca Pontes Pinto, que ganhará estrutura moderna na avenida Pinheiro Machado, esquina com o Ginásio Esportivo Cláudio Coutinho; o pergolado e a fabricação de 15 mesas e 60 bancos para o Espaço Verde, uma área em construção atrás do CPA reservada ao lazer dos servidores. “Será um espaço para leitura e outras atividades interativas, inclusive realização de eventos do governo”, adiantou Duda Vales, informando que a iniciativa foi do superintendente estadual de Comunicação, Domingues Júnior.

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie seu Comentário

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook