Abertas vagas para projeto de aperfeiçoamento do PJe

As oportunidades são para assessores técnicos de desenvolvimento, gestão de projetos e gestão da informação. As inscrições podem ser feitas até o dia 22 de janeiro, pelo site do PNUD

Regina Bandeira Agência CNJ de Notícias/Arte: TST
Publicada em 14 de janeiro de 2021 às 11:53
Abertas vagas para projeto de aperfeiçoamento do PJe

Uma Justiça menos burocrática, mais efetiva, transparente e eficiente é o desejo de todo cidadão brasileiro, inclusive dos trabalhadores do Poder Judiciário. Pensando em ampliar esse ideal, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) firmaram parceria em projeto de cooperação técnica internacional voltado à inovação do acesso à Justiça no Brasil por meio de melhorias no sistema do Processo Judicial Eletrônico (PJe).

O projeto ‘Aprimoramento da eficiência, da efetividade e da transparência do sistema PJe’ visa desenvolver estratégias, estudos e ações com o foco na promoção da inovação e transformação digital para ampliação do acesso à Justiça no Brasil e está com vagas abertas para profissionais de diversas áreas, como ciências humanas, sociais, gestão pública, comunicação, engenheiros da computação e desenvolvedores de sistemas, entre outras, que desejem trabalhar na implantação dessa iniciativa.

As oportunidades são para assessores técnicos de desenvolvimento, gestão de projetos e gestão da informação. As inscrições podem ser feitas até o dia 22 de janeiro, pelo site do PNUD.

Aperfeiçoamento 

O PJe é uma solução tecnológica única e gratuita desenvolvida pelo CNJ em parceria com diversos tribunais e, desde a sua criação, vem passando por processos de aperfeiçoamentos contínuos para, entre outras conquistas, reduzir a taxa de congestionamento processual e melhorar o desempenho da Justiça.

O projeto do CNJ com o PNUD tem como objetivo aprimorar ainda mais o funcionamento desse sistema, considerado uma das mais importantes ferramentas desenvolvidas pelo Judiciário, por meio do investimento nas políticas de informatização do processo judicial.

O Poder Judiciário é responsável pela movimentação, análise e resolução de aproximadamente 80 milhões de processos por ano e todos os processos que tramitam no CNJ, e em mais de 75 tribunais brasileiros, correm via PJe. Mesmo com o aumento no número de processos novos na Justiça, a produtividade de magistrados e servidores – que tem sido medida anualmente há 16 anos – tem se destacado pelo seu crescimento, nos últimos anos, segundo Relatório Justiça em Números 2020 (ano-base 2019).

Uma das causas desse positivo crescimento no número de casos solucionados na Justiça está o melhoramento da eficiência das ferramentas e dos sistemas informatizados da Justiça.  O projeto deve aprimorar a Plataforma Digital do Poder Judiciário Brasileiro (PDPJ-BR), instituída pela Resolução CNJ n. 335/2020, que cria um ambiente colaborativo para o desenvolvimento de novas funcionalidades que atendam de maneira mais específica as cortes brasileiras e transformam o PJe em um sistema multisserviço, mantendo a unificação do trâmite processual no país.

Vagas

Confira os detalhes das vagas no site do PNUD:

Assessor Técnico – Desenvolvimento

Assistente em Gestão de Projetos e Gestão da Informação

Assessor Técnico – Gestão

Envie seu Comentário

 

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook