Homem que ajudou a localizar avião acidentado com vilhenense a bordo no Mato Grosso recebe recompensa

Agente da PF e dono da aeronave foram à casa do agricultor.

Midia News
Publicada em 11 de dezembro de 2018 às 12:09
Homem que ajudou a localizar avião acidentado com vilhenense a bordo no Mato Grosso recebe recompensa

Amigos e parentes dos pilotos John Venera e Marcelo Balestrin, que ficaram desaparecidos durante quatro dias em uma mata fechada na região de Cáceres (MT) - após um acidente aéreo -, foram neste domingo, 09, pagar a recompensa a um morador que ajudou na localização da aeronave.
 
Os dois desapareceram na noite de sexta-feira (30) na Serra do Mangaval, em Cáceres. Eles haviam saído de Pimenta Bueno em direção a Cuiabá, mas o Cessna 182P em que estavam perdeu o contato com o controle aéreo quando faltavam 120 km para chegar à Capital.
 
O morador, identificado apenas como Edivino, que vive com o pai em uma chácara próxima a região do acidente, ouviu o momento em que o avião caiu. Lembre aqui.
 
Ele lembra que no dia estava dormindo na área externa da casa, quando ouviu o barulho. "A coordenada que eu dei para eles - e eles falaram que estavam certas - foram dadas comigo dormindo. Imagina se eu tivesse acordado?", brincou o morador.
 
A equipe, formada pelo policial federal Edson Ribeiro, o proprietário do avião que caiu, Osmar Favalessa, e dois amigos, entregou a recompensa a Edivino. O valor não foi informado.
 
“Edivino é uma pessoa espirituosa e de bem com a vida, o qual nos mostrou levar a vida de forma suave e tranquila. Fica aqui, então, um agradecimento sincero em nome de todos os amigos e familiares dos pilotos a esse ser iluminado”, disse o Edson Ribeiro.
 
VISITA AO LOCAL DO ACIDENTE

Antes de irem à casa de Edivino, o grupo foi até o ponto onde o avião caiu. O local é de difícil acesso e se trata de um trecho de área de preservação ambiental.
 
Em vídeo, o policial federal mostra que próximo onde o avião caiu é possível ver pegadas de onça. As imagens ainda mostram a existência de uma nascente. 
 
"Oh, Marcelo. Olha a mina, minando água limpinha. Que raiva, né meu nobre?", disse o amigo em vídeo.
 
Isso porque, apesar de estar a poucos metros do avião, os pilotos não conseguiram se locomover devido a fraturas nas pernas e, por isso, chegaram a beber urina para sobreviver.
 
RESGATADOS

Venera e Balestrin estão no Hospital Santa Rosa, em Cuiabá. Os dois, que foram internados na terça-feira (4) - após resgate -, agora estão em um quarto da unidade de saúde. 
 
Na madrugada de quarta-feira (5), os pilotos passaram por procedimento cirúrgico devido às fraturas.
 
Para recuperação, a equipe médica aconselhou aos dois ficarem na UTI para serem melhor assistidos.
 
Isso porque a dupla foi encontrada com desidratação, desnutrição e fraturas graves. Venera teve diversas escoriações e duas fraturas na perna: uma no tornozelo e outra no fêmur. Já Balestrin teve um quadro mais complicado. 
 
Segundo Francismara de Sousa, mulher do copiloto, ele fraturou a perna esquerda, deslocou o maxilar e um osso da face foi quebrado. Com a queda, ele bateu o rosto e fez um machucado profundo na face e no braço direito.
 
O SUMIÇO
As buscas aos dois começaram no sábado (1º), dia seguinte ao desaparecimento, mas foram prejudicadas pelo mau tempo. Com a melhora nas condições climáticas, as equipes tiveram mais visibilidade para o resgate, que aconteceu na terça (4).
  
Cerca de 30 militares do Esquadrão Pelicano da FAB estiveram envolvidos nos quatro dias de buscas. Mecânicos do Esquadrão Pantera também compuseram a tripulação. 


Clique aqui ou abaixo e assista vídeo mostrando a entrega da recompensa.

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook