Celulares, entorpecentes e objetos perfurantes são apreendidos em operação no presídio Urso Branco

Para o comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, general Costa Neves, operações como está devem ser constantes.

Publicada em 21 de fevereiro de 2017 às 15:04:00

 

Vrios objetos foram encontrados durante a revista no presdio

Vários objetos foram encontrados durante a revista no presídio da capital

A ação interagências, realizada nessa segunda-feira (20) no presídio ‘Urso Branco’, de Porto Velho, sob a coordenação do Exercito Brasileiro em parceria com a Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), Polícias Militar e Civil, Ministério Público Militar, Corpo de Bombeiros e a Força Aérea Brasileira (FAB), resultou na apreensão de 19 celulares, 64 tabletes de substâncias suspeitas (provavelmente entorpecentes), cerca de 600 objetos perfuro-cortantes, que poderiam ser utilizados como arma, tubos de linha, entre outros proibidos.

A operação foi solicitada pelo governo do estado depois da assinatura do decreto presidencial, de 17 de Janeiro deste ano, que autoriza o emprego das Forças Armadas para garantir a lei e a ordem nos presídios do País. Mais de 400 homens dos órgãos envolvidos neste trabalho participaram.

Em coletiva à imprensa, o secretário estadual da Justiça, Marcos Rocha, destacou a importância da união das forças de segurança e também o esforço que o governo do estado tem feito para a melhoria do sistema prisional de Rondônia.

Para o comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, general Costa Neves, operações como está devem ser constantes. Ele ainda destacou o papel de cada envolvido na operação, deixando claro que os militares do Exército não tiveram nenhum tipo de contato com os reeducandos da unidade.


Fonte
Texto: Assessoria
Fotos: Arquivo Exército Brasileiro/SEJUS