Bombeiros e policiais militares serão contemplados com 408 residências em Porto Velho

Alguns praças da Polícia Militar que estavam na reunião afirmaram que, do jeito que a coisa está, beneficiará apenas os oficiais, que possuem salário alto. “Nós não vamos permitir que isto ocorra. Vamos à Câmara de Vereadores cobrar para que não seja aprovado o projeto de lei pedindo a prorrogação do prazo para a construção do condomínio, não com estes valores atuais”, disse um dos policiais.

Assessoria Ale/RO
Publicada em 05 de dezembro de 2017 às 15:54
Bombeiros e policiais militares serão contemplados com 408 residências em Porto Velho

Na noite de  segunda-feira (4),  foi realizada a solenidade ,na prefeitura de Porto Velho, do ato  de doação do terreno onde será construído um condomínio fechado exclusivo para policiais e bombeiros militares.

A área onde será construído o condomínio Sparta I está localizada na Estrada da Areia Branca, bairro Areia Branca, Zona Sul, e contará com 408 residências. As obras têm prazo de conclusão estimado em 18 meses e, segundo o representante da construtora, irá gerar cerca de 600 empregos.

O coronel Chianca destacou a importância de se ter um condomínio desses no Estado, enaltecendo  a atitude da prefeitura doar o terreno, pois os militares precisam de um lugar seguro para residir e deixar seus familiares quando vão às ruas proteger a sociedade.

O prefeito Hildon Chaves salientou que o terreno havia sido doado pelo ex-prefeito Roberto Sobrinho, no final de seu mandato, porém, passou pela gestão de Mauro Nazif e até o presente momento não houve avanços no início da obra. “A doação só está sendo feita por se tratar de um projeto de habitação dentro da legislação brasileira”, disse Hildon.

Atualmente o terreno pertence à  Associação do Corpo de Bombeiros, porém, daqui a cerca de cinco meses vencerá o prazo estipulado para a construção do condomínio por inexecução do objeto e o terreno voltará a ser de propriedade da prefeitura.

“Para que este terreno continue disponível para a construção do condomínio, será necessário que a Câmara de Vereadores aprove um projeto de lei solicitando a prorrogação por mais um ou dois anos, para que haja tempo hábil para executar o empreendimento”, explicou o prefeito.

Alguns praças da Polícia Militar que estavam na reunião afirmaram que, do jeito que a coisa está, beneficiará apenas os oficiais, que possuem salário alto. “Nós não vamos permitir que isto ocorra. Vamos à Câmara de Vereadores cobrar para que não seja aprovado o projeto de lei pedindo a prorrogação do prazo para a construção do condomínio, não com estes valores atuais”, disse um dos policiais.

Comentários

  • 1
    image
    Jairo Batista Ferreira 05/12/2017

    Muito vaga a informação, não fala de valores, cita que policiais disseram que vão a Câmara pedir que não aprovem a prorrogação do prazo de doação do terreno. ????? Tem como ser mais claro na questão de valores de cada casa?

Envie seu Comentário

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook