Cidade turística de Guajará completa 88 anos

Guajará Mirim se destaca como um dos destinos mais procurados no estado por suas belezas naturais e sua histórica.

Assessoria
Publicada em 10 de abril de 2017 às 15:57
Cidade turística de Guajará completa 88 anos

Exibindo Aniversario guarajara- arte 02.jpgGuajará Mirim, emancipado em 1929, é um município de interesse turístico, reconhecido pela Setur (Superintendência Estadual de Turismo (Setur), que desenvolve diversas ações fundamentais no segmento em que atua. A revitalização do Museu Municipal Madeira-Mamoré e a construção dos centros culturais são exemplos. Contribuem para o fomento do turismo e para economia local.

Guajará Mirim se destaca como um dos destinos mais procurados no estado por suas belezas naturais e sua histórica. Segundo maior município de Rondônia em extensão territorial e oitavo em população, recebeu o título de Cidade Verde, no Rio de Janeiro, pelo Instituto Ambiental Biosfera, em razão de seu mosaico de áreas protegidas, que fazem da cidade um dos maiores municípios brasileiros em termos de áreas preservadas: 93%.

Guajará possui excelentes atrativos para o desenvolvimento da indústria do turismo em larga escala. Guardião da história, o município abriga rico acervo da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, catedral de Nossa Senhora dos Seringueiros e inúmeras construções que retratam a memória de uma época em que o município concentrava a riqueza da região, baseada no Ciclo da Borracha.

Guajará oferece as mais diversificadas opções de turismo, como o tradicional Duelo na Fronteira, evento folclórico entre os “bois” Malhadinho e Flor do Campo, além dos atrativos naturais que proporcionam aos amantes da pesca esportiva deslumbrarem-se com os peixes gigantes da Amazônia.

Guajará-Mirim é um grande santuário de preservação de fauna e flora, onde são encontradas as belas praias do rio Pacaás-Novos, local que apresenta o fenômeno do encontro das águas com o rio Mamoré e, ainda, o alto da chapada dos Pacaás Novos e o Parque Municipal Natural Serra dos Parecis.

No turismo de negócios, por estar na fronteira com a Bolívia, sedia a única Zona Franca do Estado.  A Área de Livre Comércio de Guajará-Mirim oferece excelentes oportunidades de compras de diversas mercadorias importadas de várias partes do mundo.

Comentários

  • 1
    image
    MOACIR 10/04/2017

    Ou o articulista não conhece Guajará Mirim ou está falando de outra cidade, haja vista que nada do que discorreu existe naquele local. Não vou comentar de forma pormenorizada os demais itens, contetando-me apenas com a tal área de livre comércio. Tratou-se de um engodo que enganou alguns estados, entre eles Rondônia e Amapá.Osincentivos eram e são tão medíocres que os lojistas eram obrigados a comprar bributes da China via porto do chile e os revendia na cidade. Hoje não se encontra lojas sequer para vender os tais bributes, restringindo-se os sacoleiros a ir na Bolívia Adquiri-los. A empulhação foi tão grande que chegaram a anunciar a construção de um barracão, apelidado de Shoping, que tinha salas de até duzentos mil reais, a preços daquela época, e alguns incautos comerciantes chegaram a investir seu suado dinheiro no embuste. Enquanto o município não eleger pessoas comprometidas com o desenvolvimento do local, a economia girará somente em torno de pichicata.

Envie seu Comentário

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook