“A CPI da politicagem”

Alguém saber dizer que fim levou a CPI da Energisa, criada pela Assembleia Legislativa, para apurar eventuais abusos cometidos pela empresa contra os consumidores de energia de Rondônia?

Valdemir Caldas
Publicada em 21 de maio de 2021 às 13:16
“A CPI da politicagem”

A oposição, no Senado, se assanhou até que conseguiu instalar a CPI da Pandemia, destinada a investigar eventuais irregularidades de autoridades e órgãos do governo no combate à covid-19. Quem achava que a CPI fosse, de fato, contribuir para que eventuais ilicitudes cometidas tivessem os seus autores identificados e, por conseguinte, devidamente punidos na esfera judicial, decepcionou-se. 

O que se tem visto, até agora, não anima. Pelo contrário, revolta e entristece. Semana passada, os senadores Renan Calheiros e Flávio Bolsonaro protagonizaram um espetáculo digno de frequentador assíduo de botequim de quinta categoria. Ladrão e vagabundo foram alguns adjetivos usados durante a troca de insultos. 

O histórico, recente ou não, de investigações promovidas por aquela Casa não autoriza o cidadão a pensar que seria outro o caminhar da Comissão. Mas não é somente no Congresso Nacional que assuntos de interesse da população andam a passos de cágado. Por aqui as coisas não são diferentes. Alguém saber dizer que fim levou a CPI da Energisa, criada pela Assembleia Legislativa, para apurar eventuais abusos cometidos pela empresa contra os consumidores de energia de Rondônia?

No início, criou-se em torno dela um barulho danado, mas, até onde se sabe, os trabalhos não lograram o êxito desejado. O cidadão contribuinte, coitado, a quem sempre é repassado o ônus, ainda não viu pagar os que tripudiam sobre seus direitos. Nesse sentido, ele só tem reclamações a fazer.

Não quero, com isso, dizer que sou contra a criação de CPI, desde que ela cumpra a função para a qual foi criada, e não se transforme em palanque eleitoral, ou, então, busque mecanismo de manobra política para se obter espaço na mídia. Não é sem motivo que a CPI da Pandemia já foi apelidada de “CPI da Politicagem”. Isso é inaceitável. 

Envie seu Comentário

 

Comentários

  • 1
    image
    edgard feitosa 22/05/2021

    bolsonaro foi e é irresponsável na condução da pandemia. sempre foi negacionista e contrário ``as vacinas; quanto à energisa ou qualquer empresa privatizada, o cinismo é simples: todos berram que é preciso acabar com o monopólio público; pois bem, que acontece?? saímos do monopólio público para cairmos no MONOPÓLIO PRIVADO; e empresa privada não tem dó nem piedade de consumidor, sua preocupação é uma só O MAIOR LUCRO QUE POSSA EXTORQUIR DO CONSUMIDOR; a receita é simples : demissão em massa , salários baixos e LUCROS EXORBITANTES para delírio e deleite dos acionistas que estão se lixando para rondonia. ALEM DISSO TEMOS A EXPLORAÇAO E ESPOLIAÇÃO DOS ESTADOS RICOS DO SUL QUE SE BENEFICIAM DAS USINAS

  • 2
    image
    James de Almeida Alves 22/05/2021

    Assembleia Legislativa mais Cordeirinha da História de Rondônia.Vergonhosa .Parece que não temos Problemas .Acordem senhores Deputados tirem a ✋ do bolso do povo tão sofrido de Rondônia. Só tem uma Palavra vem vergonha vergonha vergonha.As eleições vem Aí fiquem Espertos a mamata vai acabar movimento 100% renovação.

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook