Operação autorizada pelo STJ apura venda de decisões em Goiás

Investigação envolve juízes, advogados, empresários e servidores

Por Felipe Pontes - Repórter da Agência Brasi 
Publicada em 30 de junho de 2020 às 19:28
Operação autorizada pelo STJ apura venda de decisões em Goiás

A Polícia Federal (PF) cumpre na manhã de hoje (30), em Goiás, 17 mandados de busca e apreensão contra juízes, advogados, empresários e servidores públicos suspeitos de participação em um esquema de venda de decisões judiciais.

A operação foi autorizada pelo ministro Mauro Campbell, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que determinou o sigilo das investigações, mantendo em segredo os nomes dos alvos. Ele autorizou a apreensão dos celulares dos envolvidos.

De acordo com informações do tribunal, as investigações apontam para a possível “negociação criminosa” de decisões no processo de recuperação judicial de uma grande empresa no estado. A pedido do Ministério Público Federal (MPF), as buscas são realizadas em endereços públicos e privados.

A Procuradoria-Geral da República (PGR), que está à frente do caso, disse que as investigações envolvem sete pessoas, incluindo dois desembargadores e um juiz do Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO). Um dos magistrados teria recebido R$ 800 mil para designar um administrador judicial específico para uma usina de álcool em recuperação.

Em nota, a seccional de Goiás da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) disse que acompanha o cumprimento de mandados em endereços de advogados, após ter sido comunicada durante a madrugada sobre a operação.

Envie seu Comentário

 

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook