Semagri auxilia produtores em vendas durante crise do novo coronavírus

Quase seis toneladas de alimentos produzidos em Vilhena foram vendidos no comércio local com ajuda da Prefeitura

Semcom
Publicada em 03 de julho de 2020 às 16:45
Semagri auxilia produtores em vendas durante crise do novo coronavírus

Apoio da Semagri na venda de alimentos garante sustento de famílias no campo durante pandemia

Em meio à pandemia da covid-19, diversos setores do comércio foram afetados, até mesmo os pequenos produtores rurais. Para amenizar a situação dos agricultores familiares, a Secretaria Municipal de Agricultura (Semagri) faz já há várias semanas o intermédio entre o comércio local e os chacareiros, auxiliando-os nas vendas. Somente durante os últimos 15 dias, mais de 5.800 quilos de alimentos foram comercializados em Vilhena através da parceria.

O secretário municipal de Agricultura, Jair Dornelas, destaca o trabalho que vem sendo feito durante a gestão do prefeito Eduardo Japonês. “O prefeito cobra da gente e estamos aqui pra isso: atender quem precisa. Na Semagri o foco é o produtor, trabalhamos por eles sempre buscando soluções para o aumento de produtividade e também das vendas”, conclui o secretário.

O projeto de fomento à venda é possível graças às visitas de servidores da Semagri em supermercados, restaurantes, mercearias e lanchonetes para apresentar o que é produzido no município por associações de produtores. As visitas garantiram que muitos adquirissem dos produtores os alimentos que seriam descartados devido à crise.

A servidora Micaela Bolsoni destaca que as compras ocorrem em diversos setores, inclusive em grupos de redes sociais. “Tivemos um bom número de vendas em mercados. Porém, o maior público foi dos restaurantes, marmitarias e cantinas de fazendas locais. Fizemos o intermédio entre empresários e produtores, que agora fazem dos nossos produtores, fornecedores fixos. E também tivemos as redes sociais, que neste período de distanciamento, foram bastante úteis na divulgação do que o setor tem conquistado em termos de produtividade e qualidade”, destaca Micaela.

O agricultor Darci Thiele, que planta amendoim e batata-doce, agradece o empenho da secretaria. “Vivemos um período difícil. No começo da pandemia tivemos muitos problemas na comercialização do que fazíamos, mas graças a Deus o comércio está comprando da gente. Estou muito feliz pelas vendas, meu suor valeu a pena e estamos podendo colocar as contas em dia, com ajuda da Semagri”, relata o produtor.

A iniciativa de incentivo beneficiou especialmente as comunidades agrícolas Agrovila e Cooperfrutos. Somente a Agrovila vendeu cerca de 3,3 mil quilos de diversos alimentos, como batata-doce, amendoim, maxixe, mamão, abacaxi, rabanete, abobrinha, abóbora, jiló, cará, laranja, limão, quiabo, alface, rúcula, cheiro verde, couve, repolho e banana. Já a Cooperfrutos vendeu mais de 2,5 toneladas, entre os quais melancia, mandioca, alface, abóbora, banana, cheiro verde e pimentão.

Nas próximas semanas a Semagri já se programou para atender mais regiões produtivas da zona rural do município estendendo a ajuda a todos que precisarem. Associações e setores que tiverem interesse em potencializar suas vendas por meio do projeto podem buscar contato com a secretaria, das 7h às 13h, no Paço Municipal.

A Semagri lembra que as medidas que a Prefeitura adotou para evitar a disseminação da covid-19 envolveram restrições às feiras. Assim, a redução na venda dos produtores foi natural. “Daí entra a nossa ação de ajudar e buscar soluções. Esse serviço de ‘agenciamento’ para os produtores em necessidade não tem custo nenhum para os agricultores. Todo o valor das vendas é do produtor e isso tem mantido muitas famílias no campo ainda na ativa, mesmo com a economia em recessão”, conta Jair.

Envie seu Comentário

 

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook