Agora é definitivo: Héverton Aguiar entra mesmo na corrida pelo governo de Rondônia

O procurador do Ministério Público está prestes a se aposentar e, antes de 7 de abril, deve anunciar sua pré candidatura pelo Podemos.

Sérgio Pires
Publicada em 06 de fevereiro de 2018 às 20:45
Agora é definitivo: Héverton Aguiar entra mesmo na corrida pelo governo de Rondônia

Agora é oficial. Haverá sim mais um nome no rol dos postulantes ao Governo de Rondônia. Já está decidido. O procurador do Ministério Público, Héverton Aguiar, está prestes a se aposentar e, antes de 7 de abril, deve anunciar sua pré candidatura pelo Podemos, o partido que substituiu o PTN, Partido Trabalhista Nacional, que fazia parte da enorme lista de siglas partidárias criadas apenas para abrigar lideranças políticas, em várias regiões do país. O Podemos é o mesmo partido que deverá lançar o ex governador do Paraná, Álvaro Dias, à Presidência da República. Em Rondônia, o nome ao Governo será de Héverton e ao Senado o partido lançará o policial federal (aposentado) Bosco da PF. Nesta semana ainda, Aguiar deve estar em Brasília, para definir os próximos passos e detalhes do lançamento do seu nome à sucessão de Confúcio Moura, provavelmente nas primeiras semanas de abril, tão logo ele deixe, já como aposentado, suas funções no Ministério Público. Perguntado sobre o assunto, Héverton Aguiar disse que “a pretensão de colocar meu nome para análise de nosso povo, na disputa pelo Governo do Estado, é real. Alguns pontos ainda estão sendo analisados, mas já fechei meu tempo e posso me aposentar a qualquer momento. Tudo deverá estar definido na data máxima de 7 de abril”, confirmou. Ou seja, há um novo ingrediente neste contexto da disputa em Rondônia. Um nome novo, vindo do Ministério Público, numa parceria com um representante da Polícia Federal, nesses tempos em que as duas instituições crescem no conceito da população, é sem dúvida um dado importante, que não pode ser ignorado.

Embora ainda pouco conhecido da maioria do eleitorado, já que estreia na política, Aguiar ficou famoso por sua atuação no MP, principalmente pela forma dura e implacável no combate à corrupção. Além de duas vezes Procurador Geral do MP no Estado, ainda se destacou nacionalmente, comandando por três vezes seguidas o Grupo Nacional de Combate ao Crime Organizado. Porto velhense de nascimento, ele também é professor universitário, lecionando em faculdades como a Faro, Ulbra, Uniron, São Lucas e Fundação Escola Superior do MP. Não se sabe ainda sobre suas ideias relacionadas com a política e nem suas prioridades a serem anunciadas durante a campanha, até porque ele fez questão de falar muito pouco sobre assuntos que não estivessem ligados à sua atividade profissional, enquanto ligado ao MP. Mas, dentro de algumas semanas, já aposentado, ele começa a tratar da sua pré candidatura. Terá chance? Os seus amigos e aliados acham que sim, porque ele se encaixaria num contexto exato do que parte do eleitorado procura: uma cara nova e com  um perfil de inimigo da corrupção. Isso lhe bastará para chegar ao Governo? Só o futuro poderá dizer...

LULA EM RISCO: STF MANDA PRENDER

Fedeu! O deputado federal João Rodrigues, do PSD de Santa Catarina, teve decretada sua prisão imediata, na tarde desta terça, por decisão do STF. O caso era emblemático, porque envolvia uma decisão do Supremo que pode afetar diretamente o julgamento do ex Presidente Lula. O deputado foi julgado pela primeira turma do STF e teve sua prisão confirmada, depois de condenação em segundo grau. A votação foi de 3x2 contra ele e o ministro Alexandre de Moraes votou pelo cumprimento imediato da pena. Com isso, ele se posicionou oficialmente sobre o caso, porque não se sabia qual seria sua decisão. A tendência do Supremo, portanto, é manter posicionamento  já emanado da própria Corte, de que condenados em duas instâncias devem começar a cumprir pena. Outro caso semelhante, que estava na pauta, ainda não havia sido julgado até o início da noite desta terça. Com isso, o ex Presidente Lula pode passar pelo mesmo crivo, ao tentar recorrer contra sua prisão, depois de condenado a 12 anos de prisão na segunda instância. Embora cada processo seja analisado de forma diferente, há risco concreto de que a mesma decisão se aplique a Lula. Ou seja, ele pode estar muito perto da cadeia...

NÃO DÊEM BOLA AOS IMBECIS!

Alguns “mi mi mi”, alguns comentários idiotas, algumas críticas. Foi isso o que ocorreu com dois vídeos em que alunos do curso de preparação da Polícia Civil aparecem brincando com a música “Que Tiro foi esse?”, uma dessas porcarias que fazem sucesso só mesmo no Brasil, onde o mau gosto cultural é uma espécie de câncer em estado terminal. Mas a essência do caso foi a tentativa de alguns (poucos, mas barulhentos), querendo transformar uma brincadeira inocente, sem qualquer outra conotação, num motivo de patrulhamento da doentia teoria do politicamente correto. São essas que tentaram acabar com o humor no país; que patrulham qualquer brincadeira que não seja dentro do que apregoam; dos que acham que há homofobia, racismo e outras questões, tentando criminalizar e enxertar suas teorias ideológicas na cabeça de todos, mesmo em casos em que as pessoas apenas extrapolam seu bom humor e sua criatividade. Que não sejam pressionadas as chamadas autoridades competentes a dar bola para esses imbecis. O que aconteceu foi uma brincadeira, criativa e sem qualquer dano, praticado por pessoas comuns, num momento de lazer. Ponto final.

INFERNO DOS 13 MESES

Não dá para ignorar que o prefeito Hildon Chaves está vivendo provavelmente o pior momento do seu governo, o inferno astral, nestes seus primeiros 13 meses à frente da Prefeitura da Capital. Seu maior problema é ainda a questão da saúde pública, que está longe de ser resolvida, embora não se possa negar que há um esforço muito grande, da administração, dos médicos e das equipes, para que as coisas melhorem logo. Além disso, Hildon enfrenta o que todo o Prefeito sofre, nestes tempos de inverno amazônico: as constantes chuvas, que alagam grande parte da cidade. Claro que ele não tem culpa, pessoalmente. Mas a população direciona o dedo contra o peito de quem está no comando da Prefeitura, exigindo o fim das alagações. Pra piorar tudo, a questão da nova taxa de iluminação pública tem causado protestos sem fim, de contribuintes irritados com o aumento de suas contas, em alguns casos multiplicados por dez. Em muitas coisas o governo de Hildon Chaves vai bem, muito melhor que seu antecessor. Mas nesses quesitos mais complexos, sem dúvida alguma ele ainda não encontrou o caminho para voltar aos braços do povão!

AS INTENÇÕES E A REALIDADE

Na reabertura do ano legislativo, na Câmara Municipal, o Prefeito fez um balanço do seu primeiro ano, destacou os avanços, a reestruturação e a economia feita, com a renegociação de contratos. Mas acabou sendo vaiado, por alguns dos presentes à solenidade (não se sabe se era claque de algum vereador adversário ou não), quando disse que a saúde pública está melhorando. Em seguida se corrigiu, dizendo que há ainda graves problemas a serem enfrentados, mas que ele e sua equipe estão fazendo o possível para melhorar também nesse quesito. Hildon Chaves tem ainda quase três anos de administração e certamente vai conseguir melhorar a cidade em vários aspectos. Mas, para quem estreia na vida pública, ele está sentindo na pele que nem tudo o que quer é possível; que nem todos que o cercam querem realmente o sucesso da administração e pensam na cidade, não em si mesmos; que se não tiver jogo de cintura, perde o jogo da política para quem já é experiente e malandro nessas questões. Hildon está com as melhores intenções. Se vai conseguir transformá-las em realidade? Ainda é cedo para dizer.

DANIEL VAI MUDAR SEUS PLANOS?

Nos meios políticos, o que se comenta é que o futuro governador Daniel Pereira, que assume dia 5, estaria sofrendo grande pressão para considerar a possibilidade de concorrer à reeleição, em outubro. Ele vai assumir o Governo por nove meses e  está apto sim, legalmente, a postular um segundo mandato. Há algumas semanas, numa declaração exclusiva a essa coluna, Daniel disse que não seria candidato de jeito nenhum. Mas tem sido procurado por tanta gente do PSB, seu partido; por aliados e correligionários, que já não fala com tanta segurança de que não aceitará qualquer postulação neste sentido. Nessa semana, numa reunião que durou longo tempo, ocorrida em Porto Velho, com a presença de alguns dos principais nomes do PSB, ele ouviu apelos e comentários elogiosos, pedindo que reconsidere a decisão de não disputar. Daniel tem, ao menos até agora, compromisso de apoiar o senador Acir Gurgacz, do PDT, ao Governo. E garantiu que vai apoiar Confúcio Moura, do MDB e Jesualdo Pires, do PSB, para o Senado. A verdade é que a conclusão dessa história ainda está sendo escrita. Muita águia vai rolar ainda, antes que tudo seja definido..

ACIR E O MDB: OBSTÁCULOS NO CAMINHO

O problema do atual vice governador, caso decida concorrer (o que, por enquanto, parece muito difícil), será transpor alguns obstáculos fortes que terá pela frente. O primeiro deles relaciona-se com compromissos firmados. Caso assuma o Governo, como tudo leva a crer, já que Confúcio Moura está pronto para a campanha ao Senado, Daniel teria que romper seus compromisso, de pelo menos três anos, com Acir Gurgacz. O senador de Ji-Paraná jamais aceitaria mudar seus planos, nesse momento, abrindo espaço para Daniel. O confronto, ao que tudo indica, seria sério e com danos para todos os lados. O outro obstáculo também é poderoso. Ele não teria, de jeito nenhum, o apoio do MDB, que fechou com Maurão de Carvalho e não aceita nem de brincadeira, falar numa mudança de planos. Ficaria contra Confúcio, a quem prometeu fidelidade, caso o atual Governador continuasse firme ao lado de Maurão? E o presidente da Assembleia, caso recebesse uma adversário inesperado, vindo do Palácio Rio Madeira/CPA, como aceitaria essa nova situação? Assembleia e Governo, que têm caminhado juntos, não ficariam em posições opostas, numa disputa eleitoral duríssima, como a que se avizinha? Enfim, como em todas as complexas negociações políticas, essa também tem ainda muito mais perguntas que respostas. Só se saberá realmente os rumos da sucessão estadual entre maio e junho deste ano. Até lá, muita conversa, especulação e....traições!

PERGUNTINHA

Será que o recurso do PT à ONU, exigindo anulação dos julgamentos e das condenações de Lula pela Justiça brasileira, podem acabar com as Nações Unidas declarando guerra ao Brasil?

Envie seu Comentário

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook