As grandes conquistas de Rondônia no esporte

Ao longo dos últimos anos, não foram raras as vezes em que representantes do estado brilharam nos grandes palcos do Brasil e do mundo e trouxeram para casa conquistas que ficarão marcadas na história

Tudorondonia
Publicada em 07 de fevereiro de 2024 às 16:08
As grandes conquistas de Rondônia no esporte

Embora distante dos principais centros esportivos do país, Rondônia é um verdadeiro celeiro de campeões, seja revelando talentos individuais ou formando equipes vencedoras. Ao longo dos últimos anos, não foram raras as vezes em que representantes do estado brilharam nos grandes palcos do Brasil e do mundo e trouxeram para casa conquistas que ficarão marcadas na história.

Poker

Um dos maiores feitos coletivos do esporte rondoniense aconteceu no ano de 2015, quando a seleção combinada de Rondônia/Acre faturou o título da terceira edição do Campeonato Brasileiro de Poker por Equipes (CBPE), repetindo o feito do Amazonas no ano anterior. Até hoje, foram os únicos estados da região Norte do país a vencerem a competição.

Na ocasião, o time foi formado pelos atletas locais Caio Hey, Maicen Teixeira, Marciano Vannucci, Tiago Magalhães, Fernanda Filiputti e Kennedy Coutinho, além do representante acreano, Valder Bessa. Com 109 pontos, os campeões terminaram a disputa à frente de Sergipe e do Distrito Federal, que completaram o pódio.

Realizado desde 2013 pela Confederação Brasileira de Texas Hold'em, o CBPE é a principal competição do jogo de cartas no país entre equipes estaduais. Individualmente, o evento de maior prestígio é o Brazilian Series of Poker (BSOP), que conta com os patrocínios de renomadas marcas do esporte da mente, como a plataforma global PokerStars, Bitso e The Royal Brand.

Basquete

No esporte da bola laranja, um dos principais atletas nascidos em Rondônia é o ala-armador Neto. Natural do município de Vilhena, o jogador de 38 anos começou sua trajetória profissional em 2003, atuando pelo COC, de Ribeirão Preto (SP), onde foi campeão brasileiro logo em sua estreia. Ao longo da carreira, passou por equipes como o Bauru, São Carlos, Araraquara, Palmeiras e Pinheiros, clube que defende desde 2016.

Neto foi escalado três vezes para o Jogos das Estrelas do Novo Basquete Brasil (NBB), em 2009 (Araraquara), 2015 (Palmeiras) e 2016 (Liga Sorocabana). Além disso, foi um dos indicados ao prêmio de jogador que mais evoluiu na temporada 2012/13, quando atuava pelo time de Limeira.

Tênis de Mesa

Mais recentemente, o rondoniense João Fernando Martins do Nascimento Júnior fez bonito e conquistou uma medalha de ouro no Campeonato Brasileiro de Seleções no tênis de mesa. Realizado em julho de 2023, no Rio de Janeiro, o TMB Platinum - Ciclo II viu Totó, como também é conhecido, brilhar na categoria Paralímpica Classe 8 e ficar com o título, aos 45 anos de idade.

Anteriormente, João já havia faturado dois ouros nas provas individual e coletiva do Campeonato Parapan-Americano de 2005 e também foi campeão dos Jogos Paparan-Americanos de 2011, em Guadalajara, na classe 6-8 por equipes. Seu melhor ranking mundial foi a oitava colocação da classe 8 em julho de 2002.

Karatê

Nos esportes de combate, Jeanis Colzani se destacou nas disputas de Karatê, modalidade na qual representou o Brasil nos Jogos Pan-Americanos de 2011 e faturou a medalha de prata no World Combat Games de 2010, em Pequim. Em torneios de nível Open, a atleta de Rolim de Moura foi vice-campeã em Milão e terceira colocada em Istambul, ambos em 2003.

Futebol

No esporte mais popular do planeta, dois nomes rondonienses se destacaram no cenário nacional. Entre os homens, Junior Felício Marques, mais conhecido como Ji-Paraná (cidade onde nasceu), foi revelado pelo Corinthians, onde fez parte do grupo campeão brasileiro de 2005, e teve passagem pelo Internacional, sendo campeão gaúcho três anos depois.

No feminino, Adriane Nenê também vestiu camisas importantes do futebol brasileiro, incluindo Santos e Corinthians. Mas foi pela Ferroviária que ela conquistou seus maiores títulos, dentre eles a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro de 2014 e a Libertadores de 2015. Pelo Timão voltou a ganhar a copa nacional em 2016 e o Brasileirão em 2018. Pela seleção principal, acumulou convocações, mas nunca disputou um Mundial.

Taekwondo

Um dos nomes mais conhecidos do esporte de Rondônia, a taekwondista Talisca Reis chegou a ocupar a oitava posição do ranking olímpico e a 11ª na lista mundial da modalidade. A atleta da capital Porto Velho integrou a seleção brasileira por 12 anos, de 2008 a 2020, sendo reserva da equipe que participou dos Jogos Olímpicos do Rio-2016.

Entre as principais conquistas da carreira, foi medalhista de prata no Pan de Lima-2019 e nos Jogos Sul-Americanos de Medellín-2010. Também faturou um ouro e uma prata em Campeonatos Pan-Americanos e foi vice-campeã e terceira colocada nos Jogos Mundiais Militares.

Outros destaques

Para completar a lista, o porto-velhense Mateus Evangelista Cardoso foi vice-campeão paralímpico nos Jogos do Rio de Janeiro, na prova de salto em distância T37, enquanto Kétyla Paula Pereira Teodoro, de Rolim de Moura, possui um bronze na prova de 400 metros do Parapan de Lima-2019. Sua irmã, Kesley, foi quarta colocada na Rio-2016 na classe T12.

Envie seu Comentário

 

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook