Ataques já começaram nas redes sociais. Segundo turno não será de paz e amor em Rondônia

De ambos os lados, em alguns casos – felizmente ainda poucos, mas com risco de crescerem significativamente daqui para a frente – com chutes abaixo da linha da cintura.

Sergio Pires
Publicada em 10 de October de 2018 às 08:42
Ataques já começaram nas redes sociais. Segundo turno não será de paz e amor em Rondônia

Agora é tudo igual. Divididos em cinco minutos para cada candidato, tanto no rádio quanto na TV, os finalistas na disputa à Presidência e aos governos estaduais, incluindo Rondônia, vão ter tempos iguais para mandar seus recados aos eleitores. Os candidatos a Governador que disputam o segundo turno também terão 10 minutos de propaganda eleitoral, para propagar seus planos e projetos. Divulgarão suas propostas das 7h10 às 7h20, e das 12h10 às 12h20, no rádio. Nas TVs, será  das 13h10 às 13h20, e das 20h40 às 20h50 minutos, além de várias inserções de 30 segundos.  A propaganda volta nesse feriado de sexta-feira, dia 12 e vai durar 14 dias, até 26 deste outubro, a dois dias da votação. Agora não tem mais conversinha e papo furado. Tanto em nível nacional, entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad quanto em Rondônia, entre Expedito Júnior e o Coronel Marcos Rocha, a coisa vai esquentar. Tudo indica que não haverá mais paz e amor, porque o clima tende a ferver. Nesse início de segundo turno, o tucano Expedito Júnior anunciou que vai pedir voto para Jair Bolsonaro, na reta final da corrida à Presidência. Pouco depois, nas redes sociais, a resposta: partidários de Marcos Rocha divulgavam um vídeo com o próprio Bolsonaro agradecendo a votação em Rondônia e dizendo que seu candidato no Estado é o Coronel da PM. Ou seja, a batalha midiática já começou. A princípio soft, mas durou pouco. Poucas horas depois, novas postagens atacavam Expedito, via simpatizantes do seu opositor. Não passou muito tempo e a resposta veio também, com ataques ao Coronel. De ambos os lados, em alguns casos – felizmente ainda poucos, mas com risco de crescerem significativamente daqui para a frente – com chutes abaixo da linha da cintura.

Marcos Rocha tem a vantagem de chegar ao segundo turno de forma surpreendente; de se apresentar como o candidato do Capitão que mexeu com o Brasil e, ainda, de ser o novo na política rondoniense. Virá com esse discurso e com munição bastante forte contra seu adversário. Expedito tem suas vantagens também. Campeão de votos no primeiro turno, ele tirou uma diferença de quase 60 mil votos em relação ao Coronel Marcos e, ainda, tem ao seu lado uma longa carreira política, recheada de experiências, inclusive em eleições muito difíceis. No primeiro turno, convenceu a maioria do eleitorado que é ele o nome certo para comandar o Estado. Conseguirá repetir sua performance no segundo e ampliá-la? E Marcos Rocha, o que aparecia nunca acima do quarto lugar, lá embaixo, nas pesquisas mas que, nas urnas, atingiu uma votação impressionante, como se sairá na hora da decisão final? Bolsonaro virá a Rondônia para ajudar o candidato que ele diz ser da sua preferência ou ficará assistindo de longe? Por enquanto, há mais perguntas que respostas. Mas que o segundo turno por aqui será sensacional, que ninguém duvide Vai ser sim... .

VINICIUS E A PREFEITURA

Com muito cuidado, medindo as palavras para não denotar apenas euforia do momento, pela excepcional votação, o professor e advogado Vinicius Miguel, da Rede, que teve mais de 110 mil votos na eleição de domingo, para o Governo de Rondônia, não nega que uma eventual candidatura a Prefeito de Porto Velho, em 2020, esteja nos seus planos. “Vamos pensar, vamos ouvir a sociedade, vamos conversar sobre esse projeto com muita calma e responsabilidade. Só então vamos decidir alguma coisa concreta”, comentou o ainda jovem, mas já muito experiente na vida pública, que foi uma das grandes surpresas no pleito do primeiro turno da eleição estadual. De praticamente desconhecido, aparecendo sempre nas pesquisas bem abaixo dos demais concorrentes, Vinicius se tornou campeão de votos em Porto Velho, arrebanhando mais de 30 por cento do eleitorado e tendo performance positiva também em várias cidades do interior. Sem estrutura, sem dinheiro, sem aliança e com pouco tempo no horário eleitoral, ele foi um verdadeiro furacão de votos, comparando-se à votação surpreendente do representante do PSL, o coronel Marcos Rocha, que acabou indo para o segundo turno, embora com quase 60 mil votos a menos que Expedito Júnior, o grande vencedor do primeiro turno. O futuro político de Vinicius, portanto, passa sim pela Prefeitura da sua cidade.

DE OLHO NA PRESIDÊNCIA

Com 20.357 votos, o deputado José Lebrão, da pequena São Francisco do Guaporé, onde a filha dele, Lebrinha, foi reeleita há dois anos, com mais de 70 por cento dos votos, é o campeão das urnas em Rondônia, em sua reeleição à Assembleia Legislativa. Torna-se, também por isso, um nome dos mais quentes para disputar a Presidência da Casa, a partir de fevereiro do ano que vem. Lebrão atualmente é primeiro secretário e tem sido citado constantemente como o provável substituto de Maurão de Carvalho. Pelo menos mais dois nomes também têm sido comentados com possibilidades de tentar comandar a casa. Um deles é outro emedebista, o deputado Jean Oliveira, que entra no seu terceiro mandato e que foi o segundo mais votado, com 17.823 votos. Outro que estaria pensando em entrar na disputa – e suas chances aumentarão muito, caso Expedito Júnior vença a eleição ao Governo – é o deputado Laerte Gomes, do PSDB, que foi o quarto mais votado, com 16.874. Caso o eleito seja o coronel Marcos Rocha, do PSL, outros nomes certamente entrarão no rol dos que querem a Presidência, com o apoio dele.

GUARDEM ESSE NOME!

Um novo personagem na política rondoniense precisa ser destacado. Fez 34.770 votos na disputa pelo Senado e, é claro, em números absolutos a performance do advogado Fabrício Jurado poderia ser considerada muito abaixo de qualquer expectativa. No caso dele, pelo contrário. Jurado, competente profissional, nunca participou de uma eleição. Era um quase desconhecido, fora do seu círculo profissional e pessoal. Concorria por um partido pequeno, sem representação no Congresso (o Novo); não usou um só centavo do Fundo Partidário, até porque seu partido defende que dinheiro público não seja usado em campanha política e teve um espaço praticamente nulo no horário eleitoral. Mesmo assim, quase 35 mil rondonienses consideraram que ele, suas teses, sua ideologia, os princípios que defende, seriam o melhor para Rondônia, caso ele chegasse ao Senado. Fabrício Jurado é um nome para não se esquecer. Se ele decidir continuar na vida pública e disputar novas eleições, certamente terá chances reais. Seu primeiro passo foi positivo, porque, do nada, teve uma votação equivalente, por exemplo, a mais de 10 por cento do que o senador mais votado, Marcos Rogério, figura que está na política estadual e federal há mais de uma década. Gravem o nome do Jurado. Vamos ouvir falar muito dele, ainda...

O FUTURO DO GOVERNADOR

O governador Daniel Pereira não anunciou, ao menos até agora, quais seus planos para depois que deixar o Governo, no início de janeiro. Existem muitas conversas de bastidores, mas o próprio Daniel não comenta oficialmente, Sabe-se que entre suas decisões está a de voltar a estudar. Isso mesmo. Ele estaria pensando em fazer algum mestrado ou doutorado. Mas há sim outros possíveis rumos para seu futuro. Num deles, ainda não confirmado, ele seria indicado para o comando de uma importante instituição nacional de apoio empresarial. Claro que por enquanto ninguém comenta nada, mas as conversas já são ouvidas sempre que gente bem informada fala sobre o futuro do Governador, que está na reta final do seu curto mandato. Enquanto isso, na equipe do governo, os comentários demonstram o gosto amargo na boca, pelo fato do chefe não ter concorrido à reeleição. Como Acir Gurgacz ficou fora da disputa, já que seus votos não foram computados, muita gente ligada a Daniel Pereira tem certeza de que, se concorresse, ele estaria no segundo turno. Mas o cavalo passou encilhado e ele preferiu manter sua palavra de apoiar Acir e ficar de fora.

LUZ NOS VIADUTOS E NA PONTE

Ficou em segundo plano (embora não devesse) até por causa do noticiário que se concentrou, no final de semana, nas eleições gerais, um evento dos mais importantes para Porto Velho, O prefeito Hildon Chaves e sua equipe entregaram à população, com uma solenidade simples, mas marcante, a bela iluminação de 104 postes do viaduto da Campo Sales, na BR 364. Ficou realmente excelente o trabalho e a Prefeitura cumpriu o que prometia, deixando o local totalmente iluminado. Mas não foi só isso. No mesmo local, Hildon Chaves anunciou para breve o mesmo trabalho no   viaduto sobre o Trevo do Roque e, até o final do ano (pasmem!) a completa iluminação da ponte sobre o rio Madeira, mais de quatro anos depois de inaugurada. A Emdur, empresa responsável pelo trabalho, que durante muito tempo ficou sob intensas críticas, ora por irregularidades, na administração de Roberto Sobrinho, ora por ineficiência, no governo de Mauro Nazif, na atual administração deu um salto de qualidade nos serviços de iluminação da Capital. Pelo menos 60 mil lâmpadas especiais já foram colocadas, nos últimos meses, iluminando várias regiões da cidade que viviam ás escuras. Os viadutos são apenas exemplos da qualidade dessas ações da Prefeitura, via Emdur .

HADDAD ESPERA UM MILAGRE

Nas primeiras entrevistas para o segundo turno, Jair Bolsonaro e Fernando Haddad recuaram em algumas posições. O Capitão avisou que seu vice, o general Mourão, anda falando demais e sem a autorização dele, como o fez na questão do 13º salário e outras besteiras. Haddad consertou a si próprio, dizendo que não mais proporá uma nova Constituinte, mas sim fará emendas à Constituição pela via legal, ou seja, através do Congresso. A verdade é que, ao menos que haja uma mudança radical do eleitorado ou Jair Bolsonaro faça alguma grande besteira, a eleição presidencial está decidida. A rejeição a Haddad e ao PT cresce de forma impressionante e a os partidos de centro e centro direita estão todos se aliando ao grande vencedor do primeiro turno. A diferença que se prevê entre ambos (menos nas pesquisas oficiais, que vão  continuar tentando enganar o eleitor até o último dia), é de uma grande distância pró Bolsonaro. Tudo pode acontecer em política, mas Haddad vai precisar é de um milagre para mudar a eleição a seu favor.

MAURÃO AGRADECE

Com elegância e grandeza, o deputado Maurão de Carvalho emitiu nota, nesta terça, agradecendo os milhares de votos que recebeu na disputa ao Governo. "Agradeço a Deus, à minha família, aos militantes, aos candidatos de nossa coligação e a todos os que acreditaram em nossas propostas para uma Rondônia cada vez melhor. A vontade do povo é soberana! De forma livre e democrática escolheram os seus representantes e respeitamos. Que o futuro Governador, seja ele quem for, possa olhar com responsabilidade pela nossa população", afirmou. Maurão disse ainda que vai encerrar o seu mandato como deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa de forma responsável, “dando continuidade aos trabalhos, analisando e aprovando as matérias de interesse coletivo”. E concluiu: “o novo Governador, com certeza, vai contar com o orçamento aprovado e vai poder começar seu mandato sabendo como deverá agir. Que Deus abençoe a todos os rondonienses!".

PERGUNTINHA

Os seis candidatos em que você votou no domingo se elegeram ou alguns ficaram pelo caminho, nessa complexa e diferente eleição de 2018?

BLOG: https://www.facebook.com/opiniaodeprimeira?fref=ts