Avanços tecnológicos impulsionam uso da madeira de plantio na construção civil

Espécies como pinus e eucalipto estão entre as mais procuradas; processos de tratamento e manutenção garantem durabilidade e resistência para diversas aplicações

Assessoria
Publicada em 15 de junho de 2021 às 14:48
Avanços tecnológicos impulsionam uso da madeira de plantio na construção civil

As madeiras de plantio (também chamadas de madeiras de reflorestamento) oferecem resistência e durabilidade tão boas quanto aquelas de madeiras nativas, além de sua característica inerente de sustentabilidade - motivos pelos quais têm se tornado uma excelente solução na construção civil. A afirmação não é somente um detalhe técnico, mas algo reconhecido pelo mercado.

De acordo com a IBÁ (Indústria Brasileira de Árvores), entidade que representa o setor no Brasil, a indústria de base florestal fechou 2019 com US$ 10,3 bilhões de saldo na balança comercial, segundo melhor resultado dos últimos 10 anos. Atualmente, são cerca de 9 milhões de hectares de árvores plantadas, com espécies como eucalipto, pinus, araucária, paricá e teca.

"Hoje a indústria de preservação de madeiras possui padrões de qualidade que garantem o ótimo desempenho de seus produtos, inclusive para estruturas de edifícios com base em madeira de reflorestamento", comenta Silvio Lima, gerente comercial da Montana Química, multinacional brasileira especialista em proteção, tratamento e preservação de madeira.

Todos esses benefícios vêm com as vantagens estéticas e de conforto que a madeira oferece. Por exemplo, se antes pensávamos em encontrar a proteção superior contra brocas, cupins e umidade era uma exclusividade de madeiras de matas nativas, o cenário mudou por conta de técnicas e tratamentos aplicados na madeira de plantio. Tanto dentro do processo industrial, quando essas madeiras são submetidas a impregnação de preservativos com funções preventivas contra xilófagos, quanto nas etapas de construção, dentro do canteiro de obras ou nas residências com a utilização de acabamentos com funções preventivas para madeira.

Lima explica que, antes de mais nada, para escolha da melhor madeira a ser utilizada em um projeto, é importante entender qual será a sua condição de uso. "Com essa informação podemos definir qual a melhor madeira, produtos e processos que deverão ser utilizados, conferindo ao projeto a segurança, conforto e qualidade necessários", explica.

Existem hoje no Brasil normas técnicas da ABNT, como a NBR 16.143 (Categorias de Uso), que apoiam os usuários e profissionais do setor para que eles possam fazer as melhores escolhas para seus projetos.

O segredo não está apenas no tratamento industrial, mas também na manutenção e no acabamento, com produtos que, além de garantir visual superior às superfícies, também contribuem com a proteção. "Com tratamento industrial e manutenção corretos, uma madeira que poderia durar de quatro a cinco anos pode passar a ter uma vida útil de 15 a 20 anos, e dependendo da aplicação, até mesmo 30 anos."

Conheça algumas variedades e melhores aplicações:

CHAMPANHE, PEROBA IPÊ E TECA - madeiras densas e duradouras, utilizadas quando necessitamos de mais resistência mecânica e contra elementos do clima, como sol e chuva. São boas opções para pilares, decks e outras estruturas, principalmente em ambientes externos. Ipê é uma das variedades mais empregadas.

AROEIRA, MACAÚBA E ITAÚBA - apresentam excelente resistência contra cupins e brocas.

MAÇARANDUBA E SUCUPIRA - ambas oferecem boa resistência contra umidade. Ideais para ambientes úmidos, nos quais há possibilidade de ataque de fungos à superfície.

GARAPEIRA - oferece facilidade de processamento industrial. Por isso, aceita diversos tipos de acabamento e é atrativa para personalização por parte dos consumidores.

PINUS E EUCALIPTO - espécies mais comuns de madeira tratada industrialmente, acabam reunindo todos os atributos das anteriores, além de preço geralmente mais baixo e sustentabilidade (por serem florestas plantadas, há um ciclo de reposição das árvores que não agride o meio ambiente).

Sobre a Montana Química

A Montana Química construiu a reputação de especialista no tratamento, proteção e preservação de madeira no mercado graças ao seu principal valor, presente no coração da empresa desde 1953: preservar para o futuro. A multinacional investe continuamente em pesquisa e desenvolvimento, parque industrial e capacitação do seu capital humano para desenvolver produtos e serviços de alta qualidade. A Montana possui duas unidades de negócios: industrial, que abrange a linha de preservação e produtos de alto desempenho para madeira, e varejo, que abrange a linha de acabamentos e complementos.

Envie seu Comentário

 

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook