BR-319, uma estrada inútil

O Amazonas praticamente nada produz em termos de agropecuária e a pouca produção de Rondônia pode ser escoada pela BR-364 em direção ao sul do país.

Professor Nazareno*
Publicada em 13 de setembro de 2018 às 09:33

Todo ano de campanha política é a mesma ladainha: a rodovia Álvaro Maia ou BR- 319, que liga Porto Velho e Manaus finalmente vai sair do papel e voltará a existir. Tolice, bobagem, conversa para boi dormir, sonho inatingível, lengalenga inútil. Sem nenhuma importância para o desenvolvimento do país, a esquecida estrada cortando o coração da Amazônia já existiu de fato. Inaugurada em 1976, mas sem nenhuma
manutenção, ela resistiu só até o início dos anos 80 e hoje se transformou num lamaçal intransponível durante o período de chuvas do rigoroso inverno amazônico. Os dois governos estaduais e o governo federal sempre fizeram pouco caso da sua existência, por isso ela desapareceu. O seu reaparecimento, no entanto, seria a repetição de um erro que pode trazer seriíssimas consequências ambientais para toda a região que ela corta.

Se a velha estrada não tem nenhuma importância para o Brasil, para a região Norte é igualmente desnecessária. O Amazonas praticamente nada produz em termos de agropecuária e a pouca produção de Rondônia pode ser escoada pela BR-364 em direção ao sul do país. Gastar bilhões de reais para reativar uma estrada fantasma apenas para transportar farinha d’água e peixe Jaraqui é uma insensatez sem tamanho que vai de encontro a toda e qualquer teoria macroeconômica. Isso sem falar que temos o melhor meio de transporte em uso: os rios da região, cuja extensão entre as duas capitais é totalmente navegável. Rasgar a floresta para reativar um caminho que liga “o nada a coisa alguma” é simplesmente decretar a morte de toda a Amazônia brasileira. Com a “Trans-Jaraqui”, em pouco tempo nenhuma árvore será mais vista em seu longo trajeto.

Fala-se que o atual govenador do Amazonas, Amazonino Mendes, não tem nenhum interesse nessa rodovia uma vez que ele seria dono de várias empresas de navegação. Além do mais, os manauaras e os amazonenses de um modo geral não querem se ligar a Rondônia nem ao restante do Brasil. Se quisessem, não teriam gasto um bilhão e trezentos milhões de reais para construir uma ponte ligando Manaus ao
Cacau Pirera e a Iranduba do outro lado do rio Negro. Uma ponte entre Manaus e o Careiro da Várzea e consequentemente à velha rodovia, teria tirado há tempos a capital do Amazonas do isolamento. Mas ninguém lutou para isso. Sem essa ponte, as duas cidades continuariam sem nenhuma ligação por terra, uma vez que sempre haverá a necessidade de uma balsa para cruzar a área do encontro das águas próxima a Manaus.

Decretar o fim da Amazônia e de todas as suas riquezas naturais somente para satisfazer a vontade de meia dúzia de turistas pobres é o fim da picada. Tolice por tolice já existe uma ponte aqui que não tem nenhuma serventia mesmo. Chega de gastar dinheiro à toa. E quem teria coragem de dirigir 12 ou 14 horas apenas para tomar banho de rio? Essa idiotice nós já fazemos aqui há tempos. Humaitá já sobrevive em função de
Porto Velho e duvido que alguém de bom senso queira se ligar à “capital da sujeira”. Reconstruir a 319 seria a indução talvez ao maior crime ambiental de que se tem notícia. As ONG’s ambientalistas do Brasil e a opinião pública internacional deviam se movimentar para evitar mais esse desastre ecológico. A pavimentação da BR-364, por exemplo, além da enorme devastação ambiental e dos problemas que causou, resultou na burrice que é conhecida hoje por Rondônia. E quem precisaria errar mais uma vez?

*É Professor em Porto Velho.

Comentários

  • 1
    image
    Antonio Alves 14/09/2018

    Já dizia Ex presidente Ernesto Geisel. 74 a 79. INTREGAR PARA NÃO ENTREGAR. Cobiça internacional.

  • 2
    image
    Játo Geistregar. 14/09/2018

    Já dizia o ex presidente Ernesto Geisel. 74 a 79, INTEGRAR PARA NÃO ENTREGAR. O isolamento não faz parte da evolução humana.

  • 3
    image
    Claudio 14/09/2018

    O senhor professor que nao deve entender de porra nenhuma de economia e deve ser o tipinho que esta em sala aula nos dias de hoje fazendo os filhos fos brasileiros ficarem mais ignorantes com suas ideias socialistas e comunistas.

  • 4
    image
    Fernando 999 14/09/2018

    Esse professor deveria parar de cuspir no prato que está comendo e vazar fora, comunista safado, o Bolsonaro vem aí !

  • 5
    image
    afonso tabosa 14/09/2018

    A TV DE LED LCD OU 4K É FABRICADA ONDE? SE O SENHOR NÃO SABE LHE DOU A RESPOSTA EM MANAUS

  • 6
    image
    NILDA MELO 14/09/2018

    PARA ALGUÉM QUE SE DIZ ENTENDER AS NECESSIDADES DE RONDÔNIA VOCÊ ESTÁ PARECENDO QUE ESTÁ NA IDADE MEDIEVAL, POIS É COMPLETAMENTE SEM NOÇÃO E NÃO CONSEGUE VER QUE SERIA MAIS UM MEIO DE AGILIZAR O TRANSPORTE ENTRE OS DOIS ESTADOS, JÁ QUE POR VIA FLUVIAL DEMORA MUITO E SÓ SERVE PARA ENRIQUECER OS BALCEIROS QUE JÁ MONOPOLIZARAM NOSSOS RIOS E NÃO PERMITEM QUE HAJA DESENVOLVIMENTO.

  • 7
    image
    JOSÉ CARLOS MONTEIRO. 13/09/2018

    ESSE PSEUDO PROFESSOR É UM GRANDE BABACA E IDIOTA !!!!!

  • 8
    image
    Valdemir 13/09/2018

    Muita burrice alguém achar que ligar Manaus ao resto do Brasil é inutilidade. Por 400 km, quase meio brasil está separado do resto do país. A integração além de econômica e social, também é importante do ponto de vista da segurança da integração nacional.

  • 9
    image
    José AntônioJj 13/09/2018

    O nobre colunista é sócio de balseiro, ativista ecológico, ou anti-manauara.

  • 10
    image
    DANILO FONTANA 13/09/2018

    Insensatez é pessoas falar uma asneiras dessa que dizer que a BR 319 é inviável, porque a nossa infraestrutura no país é uma vergonha por culpa de gente com mente atrasada que fica atrasando o desenvolvimento do nosso país e agora vamos dar um basta nisso quem tiver esse pensamento pode dar adeus a cargos políticos porque vamos dar cartão vermelho e pronto

  • 11
    image
    João Batista 13/09/2018

    Não concordo que essa estrada seja inútil. O povo tem que ter opção. O transporte aéreo é caro e o fluvial é moroso. Então por que não ter mais uma opção de transporte ? Esse Professor Nazareno é contra tudo. Será que ele faz alguma coisa pra melhorar o nosso estado ? Falar e criticar é fácil. Quero ver é fazer algo pra melhorar a vida do povo. Vamos falar menos e fazer mais.

  • 12
    image
    kao 13/09/2018

    Coitados dos alunos desse professor...uma das reclamações das empresas que estão na Zona Franca é como escoar a produção, realmente a "estrada é inútil", úteis são as balsas que gastam mais de 10 dias para transportar mercadorias até Rondônia caso tivesse estradas levariam 12 horas ou 14 horas....

  • 13
    image
    walter 13/09/2018

    Esse professor é professor de merda, não sabe a importância da Amazônia a ligação o desenvolvimento. O turismo a fonte de renda. Acha que sucesso é só pra São Paulo e sudeste.

  • 14
    image
    joão 13/09/2018

    realmente esse professor não sabe de nada, ou se faz, o dinheiro tem que sobrar pra mandar para os paises vermelhos? isso acabará em 07 outubro

  • 15
    image
    alcilene pinheiro 13/09/2018

    Professor você so seve para falar mau você mi parece qui e uma pessoa mau amada va procura alguma coisa pra você fazer em vez de falar mau do que você acha que certo qui na verdade você não sabe de nada você e muinto louco

  • 16
    image
    Dora 13/09/2018

    Na verdade, existem pequenos grupos interessado na reativação da 319, com o único objetivo de fomentar ainda mais suas riquezas.

  • 17
    image
    gilamar 13/09/2018

    Que importa é que os ônibus interestadual da Eucatur vai transitar sem problemas e sem concorrência. BR-319 - INTERESSE DE POUCOS.

  • 18
    image
    Belmiro 13/09/2018

    ESSE PROFESSOR É BEM MAIS IÚÍTIL QUE A BR 319,,,,,,,COMUNISTA SAFADO

Envie seu Comentário

Envie seu Comentário

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook