Governo de Rondônia investe em construção e reforma de escolas estaduais de Ministro Andreazza e distrito de Riozinho

Foram realizados dois atos de inauguração da construção de novos espaços e reforma da Escola Estadual Nilo Coelho e Escola Estadual Celso Ferreira da Cunha, na Região do Café

Texto: Ananda Carvalho Fotos: Sarah Garcia Secom - Governo de Rondônia
Publicada em 20 de novembro de 2023 às 10:06
Governo de Rondônia investe em construção e reforma de escolas estaduais de Ministro Andreazza e distrito de Riozinho

Ato de inauguração na escola Nilo Coelho, em Ministro Andreazza

Com o objetivo de melhorar a qualidade da educação e proporcionar conforto aos estudantes e servidores que integram o quadro pedagógico das escolas da Rede Pública Estadual de Ensino, o Governo de Rondônia realizou nesta sexta-feira (17), dois atos de inauguração da construção de novos espaços e reforma da Escola Estadual Nilo Coelho, em Ministro Andreazza e Escola Estadual Celso Ferreira da Cunha, no distrito de Riozinho, ambas localizadas na Região do Café,  e sob a jurisdição da Coordenadoria Regional de Educação (CRE) de Cacoal.

A Escola Estadual Nilo Coelho, localizada em Ministro Andreazza, atende um total de 450 alunos da Educação Básica matriculados nas etapas de ensino fundamental e médio, e possui em seu quadro pedagógico e administrativo 57 servidores. Durante o ato, foi inaugurado do espaço do refeitório, onde foram investidos R$ 321.368,74 (trezentos e vinte e um mil, trezentos e sessenta e oito reais e setenta e quatro centavos), advindos de recursos do Programa de Apoio Financeiro (Proafi).

Para o governador de Rondônia, Marcos Rocha, melhorar a estrutura dos prédios escolares tem sido prioridade da gestão. “Os investimentos do Governo priorizam as necessidades, tanto dos alunos quanto da comunidade escolar. Isso reflete na melhoria da qualidade de ensino, por garantir mais conforto”, ressaltou.

Durante o ato de inauguração, a titular da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), Ana Pacini ressaltou que, a construção de novos refeitórios reflete diretamente na qualidade da alimentação dos estudantes, impactando também em seu aprendizado e crescimento”, pontuou.

O presidente do grêmio estudantil da escola, Igor Gabriel, agradeceu a atenção do Governo do Estado em proporcionar um novo refeitório para a unidade. “Antes nos alimentávamos no calor. A partir de agora teremos um ambiente confortável e climatizado para usufruirmos das nossas refeições”, disse.

QUALIDADE DE ENSINO

Escola Celso Ferreira da Cunha, localizada no distrito de Riozinho

A Escola Estadual Nilo Coelho, atende um total de 450 alunos da Educação Básica, nas etapas de ensino fundamental e médio

Um segundo ato de inauguração  beneficiou a Escola Estadual Celso Ferreira da Cunha, localizada no distrito de Riozinho, em Cacoal, que atende um total de 396 estudantes matriculados nas etapas de ensino fundamental, médio e de mediação tecnológica.

A unidade possui em seu quadro pedagógico e administrativo, 48 servidores, e recebeu a construção de um refeitório e pintura geral. No total, foram investidos R$ 194.581,16 (cento e noventa e quatro mil, quinhentos e oitenta e um reais e dezesseis centavos), advindos de recursos do Programa de Apoio Financeiro (Proafi).

Comentários

  • 1
    image
    José de Barros Gonçalves Filho 20/11/2023

    Toda obra pública bem finalizada é sempre bom para a população. Mas, não compreendemos ainda o porquê daquela obra desenvolvida no Espaço Alternativo de Porto Velho simplesmente não se conclui!!! Desde setembro/outubro do ano passado deu-se início àquela reforma no Espaço Alternativo, entretanto a empresa responsável pela obra caminha a passos muito lentos e ali pouco se percebe a presença de operários trabalhando, e a população espera que, em breve, aquele serviço seja concluído. Quem é o responsável por aquele trabalho? Alguém pode nos responder publicamente???

  • 2
    image
    José de Barros Gonçalves Filho 20/11/2023

    Toda obra pública bem finalizada é sempre bom para a população. Mas, não compreendemos ainda o porquê daquela obra desenvolvida no Espaço Alternativo de Porto Velho simplesmente não se conclui!!! Desde setembro/outubro do ano passado deu-se início àquela reforma no Espaço Alternativo, entretanto a empresa responsável pela obra caminha a passos muito lentos e ali pouco se percebe a presença de operários trabalhando, e a população espera que, em breve, aquele serviço seja concluído. Quem é o responsável por aquele trabalho? Alguém pode nos responder publicamente???

Envie seu Comentário

 
Winz

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook

Metade do Amapá seria Israel

Metade do Amapá seria Israel

Se o Brasil tivesse vendido metade do Amapá para os judeus seria um louvor até hoje. Tanto para os raros amapaenses como para os judeus