Lazinho da Fetagro aponta problemas com a energia rural 

Lazinho relatou que a cadeia produtiva do leite está a cada dia mais dependente de tanques de resfriamento e que a normativa diz que se houver problema de energia na linha a empresa tem até 48 horas para resolver o problema.

Assessoria
Publicada em 23 de março de 2017 às 10:57
Lazinho da Fetagro aponta problemas com a energia rural 

O presidente da Comissão de Agropecuária e Política Rural da Assembleia Legislativa, deputado Lazinho da Fetagro (PT), relatou problemas de energia enfrentados pelos produtores de leite e que está acarretando em sérios prejuízos. A questão foi levantada durante a reunião da Comissão ocorrida na manhã de quarta-feira (22). 

Lazinho relatou que a cadeia produtiva do leite está a cada dia mais dependente de tanques de resfriamento e que a normativa diz que se houver problema de energia na linha a empresa tem até 48 horas para resolver o problema. “Com o excesso de chuvas, tem faltado energia constantemente e com isso perdendo muito leite”. 

O parlamentar salientou que já está em consulta junto a assessoria jurídica para verificar se há possibilidade de criar uma legislação para obrigar a empresa a atender ao produtor em tempo menor. 

“A empresa é federalizada, mas presta serviço no Estado e precisa respeitar a população de Rondônia”, destacou Lazinho. 

O deputado Adelino Follador (DEM) afirmou que se ligar para a central eles dizem que não é mais emergência. “Quem decidiu que não é mais emergência isso? Precisamos de mais respeito”. Relatou que no Rio Grande do Sul, se os produtores perderem o leite por culpa da energia, são ressarcidos. “Aqui não, há um total desrespeito com o produtor”, disse. 

O deputado Ribamar Araújo (PR) afirmou que Rondônia é um Estado diferenciado dentro da região Norte. “É produtivo, totalmente ocupado, com muitas propriedades rurais. Temos malha viária imensa, somos diferenciados em relação aos demais, são peculiaridades e precisamos ter tratamento diferenciado”.  

Audiência cancelada

Lazinho também mencionou o cancelamento da audiência pública que seria realizada nesta quinta-feira (23), em Ji-Paraná, para debater sobre a vacinação do rebanho bovino do Estado e a possibilidade de buscar o titulo de Estado livre da febre aftosa sem vacinação, devido a operação da polícia federal que chamou de irresponsável, e que afetou a cadeia produtiva da carne.

Envie seu Comentário

 

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook