'O eleitor brasileiro vota para passar quatro anos arrependido'

A esperança de um país melhor “para todos e todas” aos poucos vai desaparecendo

Fonte: Valdemir Caldas - Publicada em 15 de maio de 2024 às 08:43

'O eleitor brasileiro vota para passar quatro anos arrependido'

A frase que dá título a este artigo é do brilhante advogado Clênio Amorim Corrêa ao comentar recente colaboração de minha autoria. Não sem motivo está aspeado. Ela serve perfeitamente para ilustrar o que ocorre no cenário político nacional, sobretudo quando examinamos a mais recente pesquisa de avaliação do governo Lula. Os números da decepção com a administração do petista impressionam e vêm dos quatro cantos do todo país. Quase sessenta por cento da população brasileira perdeu a confiança no presidente. A esperança de um país melhor “para todos e todas” aos poucos vai desaparecendo.

Os que apostaram no “salvador da pátria”, com predicados de idealismo para mudar completamente o Brasil, caíram do cavalo. Mais empregos, melhores salários, menos violência e juros mais baixos, são promessas que, até hoje, não saíram do papel e, pelo visto, jamais sairão, assim como a diminuição dos índices de inflação. Lula não é mais querido como antes. Não empolga mais, perdeu a capacidade de mobilização, como ficou evidente no evento de 1º de maio, e, o que é pior, perdeu também a sensibilidade para avaliar os problemas do país e, consequentemente, apontar caminhos. Nem uma boa equipe de governo conseguiu montar. Tornou-se refém de um Congresso sedento por nacos de poder, com as devidas exceções. Para conseguir aprovar alguns projetos, o presidente precisou fazer alianças politicas com antigos adversários.

Muitos que acorreram às urnas movidos pela esperança e pelo entusiasmo, hoje, não conseguem disfarçar a frustração. A certeza de que com Lula a sociedade experimentaria profundas mudanças, transformou-se em pesadelo. O tão sonhado crescimento econômico, única forma efetiva de se combater o desemprego, elevando-se o nível da ocupação da mão-de-obra, parece cada dia mais distante. O luxo e a ostentação palaciana estão na ordem do dia, sob os aplausos velados dos bobos da corte.

No fundo, Lula parece ser o único que ainda acredita no seu governo. Só ele não percebeu que o Brasil vive uma profunda crise de caráter estrutural e organizacional. E que se o presidente não parar de ficar jogando para a plateia e, prontamente, encaminhar a solução para os problemas contra os quais a sociedade se debate, logo o Brasil mergulhará num profundo caos econômico, social e político.

'O eleitor brasileiro vota para passar quatro anos arrependido'

A esperança de um país melhor “para todos e todas” aos poucos vai desaparecendo

Valdemir Caldas
Publicada em 15 de maio de 2024 às 08:43
'O eleitor brasileiro vota para passar quatro anos arrependido'

A frase que dá título a este artigo é do brilhante advogado Clênio Amorim Corrêa ao comentar recente colaboração de minha autoria. Não sem motivo está aspeado. Ela serve perfeitamente para ilustrar o que ocorre no cenário político nacional, sobretudo quando examinamos a mais recente pesquisa de avaliação do governo Lula. Os números da decepção com a administração do petista impressionam e vêm dos quatro cantos do todo país. Quase sessenta por cento da população brasileira perdeu a confiança no presidente. A esperança de um país melhor “para todos e todas” aos poucos vai desaparecendo.

Os que apostaram no “salvador da pátria”, com predicados de idealismo para mudar completamente o Brasil, caíram do cavalo. Mais empregos, melhores salários, menos violência e juros mais baixos, são promessas que, até hoje, não saíram do papel e, pelo visto, jamais sairão, assim como a diminuição dos índices de inflação. Lula não é mais querido como antes. Não empolga mais, perdeu a capacidade de mobilização, como ficou evidente no evento de 1º de maio, e, o que é pior, perdeu também a sensibilidade para avaliar os problemas do país e, consequentemente, apontar caminhos. Nem uma boa equipe de governo conseguiu montar. Tornou-se refém de um Congresso sedento por nacos de poder, com as devidas exceções. Para conseguir aprovar alguns projetos, o presidente precisou fazer alianças politicas com antigos adversários.

Muitos que acorreram às urnas movidos pela esperança e pelo entusiasmo, hoje, não conseguem disfarçar a frustração. A certeza de que com Lula a sociedade experimentaria profundas mudanças, transformou-se em pesadelo. O tão sonhado crescimento econômico, única forma efetiva de se combater o desemprego, elevando-se o nível da ocupação da mão-de-obra, parece cada dia mais distante. O luxo e a ostentação palaciana estão na ordem do dia, sob os aplausos velados dos bobos da corte.

No fundo, Lula parece ser o único que ainda acredita no seu governo. Só ele não percebeu que o Brasil vive uma profunda crise de caráter estrutural e organizacional. E que se o presidente não parar de ficar jogando para a plateia e, prontamente, encaminhar a solução para os problemas contra os quais a sociedade se debate, logo o Brasil mergulhará num profundo caos econômico, social e político.

Comentários

  • 1
    image
    Josemar Freire Botelho 15/05/2024

    Valdemir Caldas só não vai ser processado pelo Felipe Neto por que é um desconhecido. mas a mentira sobre os purificadores de água ainda vai render muito. Mesmo sendo pobre, Caldas é da extrema-direita raivosa e vive o tempo todo latindo contra toda e qualquer governo progressista. Divulga Fake News e faz de tudo para não reconhecer o governo de esquerda que foi legitimamente eleito pelo voto. O povo não elegeu Lula para salvar a pátria, Valdemir. Elegeu o PT para se livrar do genocida miliciano, golpista e negacionista que tu defendes em todos os teus escritos. Mas pobre de direita é assim mesmo: vive só para enaltecer os ricos e poderosos. Pobre de direita é uma espécie de capitão do mato que sequer reconhece a si mesmo.

  • 2
    image
    José Antônio Borja 15/05/2024

    Parabéns pelo seu textinho aloprado! Como bolsomínion destemido, obviamente você precisa depreciar tudo o que o atual governo faz ou deixa de fazer. É claro que Lula enfrenta problemas em sua atual administração. O que você não esclarece, é que a grande maioria dos atuais problemas existentes no Brasil, devem-se à ação insana do teu mito, JMB, que, na condição de miliciano imbecil e bandido, deixou que os seus sócios bandidos do Congresso assumissem a direção dos destinos do país. E hoje, quando Lula tenta retomar a efetiva função de Administrador do Brasil, a cachorrada late e todos os canalhas sentem saudades do boso.

Envie seu Comentário

 
Winz

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook