Prefeito tira licença e deixa capital sob comando de vice citado no escândalo de corrupção da JBS

O candidato do PSDB venceu fácil a disputa pela prefeitura com um discurso eloquente contra a corrupção e chegou a dizer num debate que conhece um “bandido com dois minutos de conversa”.

Luciana Oliveira
Publicada em 04 de julho de 2017 às 01:58
Prefeito tira licença e deixa capital sob comando de vice citado no escândalo de corrupção da JBS

O pedido de autorização de licença encaminhado pelo prefeito Hildon Chaves (PSDB-RO) foi submetido à apreciação na Câmara de Vereadores de Porto Velho nesta segunda-feira (03). O ofício que encaminhou a solicitação de afastamento por quase um mês, veio assinado pelo ex-chefe de gabinete, Breno Mendes, exonerado do cargo no dia 26 de junho.

O documento foi mantido em segredo, engavetado, mas a imprensa noticiou que o prefeito deve se afastar para curtir férias com a família com apenas seis meses de trabalho e com o vice envolvido no maior escândalo de corrupção do país.

Foram 15 votos favoráveis. Só dois vereadores votaram contra a autorização: Aleks Palitot e Cristiane Lopes. Ausentes estavam Márcio Oliveira e Pastor Edésio.  Luan da TV,  que estava na casa, sumiu na hora da votação.

O prefeito tucano alega que vai “tratar de assuntos particulares”, deixando o comando da capital, Porto Velho, com o vice Edgar do Boi, citado por Valdir Aparecido Boni nas delações da JBS. Ele teria recebido, segundo o depoente, entre 2012 e 2014 , cerca de R$ 2 milhões e, em 2015, mais R$ 1,8 milhão, de propinas em troca de benefícios fiscais no estado de Rondônia.

No dia 20 de maio, Edgar do Boi anunciou seu afastamento nas redes sociais e no mesmo dia o prefeito convocou entrevista coletiva para dizer que partiu dele o pedido.

“Fomos surpreendidos com a notícia e imediatamente, diante dos fatos, solicitei pessoalmente ao vice-prefeito que procedesse ao seu afastamento da prefeitura, o qual aceitou de pronto por entender que este seria o caminho mais certo para se identificar a sua defesa, respeitando o devido processo legal”, afirmou.

Na prática, comenta-se que o vice nunca esteve afastado das funções.

O candidato do PSDB venceu fácil a disputa pela prefeitura com um discurso eloquente contra a corrupção e chegou a dizer num debate que conhece um “bandido com dois minutos de conversa”.

A participação de Edgar do Boi no esquema criminoso será investigada, mas, foi graças ao vice que escolheu, que Rondônia está no grupo de novos pedidos de abertura de inquéritos feitos pela Procuradoria Geral da República à instâncias judiciais de vários estados, como o Paraná, Ceará, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e o Distrito Federal.

 

O ‘Doria’ de Porto Velho, como sugeriu a revista Veja, dizia na campanha que tinha os votos dos “constrangidos morais”.

Pelo visto, o prefeito tucano não está constrangido em pedir licença de 25 dias com 6 meses de gestão e muito menos em deixar a prefeitura nas mãos do vice envolvido num escândalo colossal como o da JBS que gerou pedidos de impeachment contra o presidente da república.

É pouca a vergonha.

Envie seu Comentário

 

Comentários

  • 1
    image
    SULA 04/07/2017

    É uma pena que Porto Velho esteja em mãos erradas. Mais o povo escolheu. Então estão com o Prefeito e o vice que quem votou merece!

  • 2
    image
    Pedro Manso 04/07/2017

    Porto Velho esta Bem servido; o prefeito já começou a da seu primeiro sinal, estava indo "bem", mais já esta colocando um cara que esta envolvido em escandalo que afundaram o País para administrar tem algo ai........e´melhor a PF e MPF ficar de olho bem aberto, desse povo nos não esperamos coisa boa........

  • 3
    image
    DOMINGOS 04/07/2017

    O povo estar vendo quem são os lideres da organização criminosa no Brasil, e quem são os enganadores da nação, que estão afundando a cada dia o Brasil, voltando os tempos de difíceis para o povo, com um presidente dos mais canalhas de todos os tempos.

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook