Comerciante é preso por adulterar medidor de energia em Candeias do Jamari

A investigação teve início após suspeitas de adulteração no medidor de energia elétrica de uma panificadora

Assessoria/Energisa/Foto: Divulgação
Publicada em 07 de dezembro de 2023 às 14:46
Comerciante é preso por adulterar medidor de energia em Candeias do Jamari

Nessa terça-feira, uma ação conjunta entre a Perícia Técnica Criminal e a Polícia Militar resultou na prisão de um comerciante no bairro Satélite, em Candeias do Jamari. A investigação teve início após suspeitas de adulteração no medidor de energia elétrica de uma panificadora. Ao realizar a vistoria minuciosa, a Perícia Técnica Criminal identificou um dispositivo controlador dentro do medidor.

Diante das evidências, a perícia informou imediatamente à polícia militar, que prontamente se deslocou até o local. Após a confirmação dos fatos, os agentes deram voz de prisão ao comerciante responsável pelo estabelecimento, que foi conduzido por suspeita de estelionato, conforme o artigo 171 do Código Penal.

O estelionato, que consiste em obter vantagem ilícita em prejuízo alheio mediante fraude, é um crime passível de pena de reclusão, variando de um a cinco anos, além de multa. A prisão do comerciante serve como um alerta para a prática de atividades ilegais que prejudicam o sistema elétrico e a sociedade, a exemplo do furto de energia.

A polícia ressaltou a importância da colaboração da população em denunciar práticas suspeitas de furto de energia, tanto pelo 190 da Polícia Militar quanto pelos canais de atendimento da Energisa, distribuidora de energia no estado:

Whatsapp: (69) 99358-9673

Call Center: 0800 647 0120

Site: energisa.com.br

Aplicativo Energisa On (disponível no Google Play ou App Store do celular)

Envie seu Comentário

 

Comentários

  • 1
    image
    Gilson Soares 08/12/2023

    Não pode misturar alhos com bugalhos. Uma coisa é imposto, outra coisa é cometer ilicitude desviando energia e prejudicando todo o conjunto da sociedade. Se alguém for detido em ato infracional passível de condução coercitiva não é humilhação e sim cumprimento da lei. O brasileiro infelizmente é cheio de querer dar jeitinho em tudo, por isto estamos neste atraso.

  • 2
    image
    kaio 07/12/2023

    A quantidade absurda de impostos e chegam a humilhar o pequeno e médio comerciante e vem uma coisa dessas que sem titubear humilha mais ainda quem quer trabalhar, se fosse tarifas baratas para os rondonienses, os quais são os que pagam um absurdo mesmo tendo duas das maiores hidroelétricas no estado. O povo tem que se lascar mesmo. puts

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook