Comissão de Educação e Cultura da Assembleia solicita informações sobre situação das escolas públicas em Rondônia

Fizemos um estudo da Lei e vimos que ela não limita a merenda escolar somente a alunos.

Eláine Maia - DECOM/ALE/Fotos: José Hilde
Publicada em 13 de março de 2019 às 10:53
Comissão de Educação e Cultura da Assembleia solicita informações sobre situação das escolas públicas em Rondônia

Presidida pelo deputado Lazinho da Fetagro (PT), com a participação de Adelino Follador (DEM) e Ismael Crispin (PSB), a Comissão e Educação e Cultura da Assembleia Legislativa, se reuniu na manhã desta quarta-feira (13), e solicitou um relatório da Secretaria Estadual de Educação (Seduc), informando como funcionam todas as escolas em Rondônia. De acordo com Lazinho, muitas unidades estão fechadas e os alunos assistem aulas em outros locais, até em contêineres. 

O deputado Crispin votou favorável, mas reforçou que na identificação de cada escola, esteja junto o IDEB de cada unidade, para que seja realizada uma análise mais aprofundada. Deu como exemplo a situação de uma escola fechada no município de Parecis, e que por conta disso, os alunos assistem aula no plenário da Câmara de Vereadores e até na igreja do município. O requerimento foi aprovado por unanimidade. 

Outro assunto debatido, foi uma denúncia apresentada pelo deputado Adelino Follador, sobre a proibição dos professores se alimentarem nas próprias escolas. “Deixar o professor sem lanchar não é economia e sim um atraso”, questionou. 

A Comissão encaminhou ofício à Seduc, pedindo informações completas sobre essa proibição. Segundo os parlamentares, o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) é uma assistência financeira suplementar para garantir no mínimo uma refeição diária aos alunos e não trata sobre a proibição de estender o benefício aos professores. “Fizemos um estudo da Lei e vimos que ela não restringiu a merenda escolar somente a alunos”, destacou o deputado Lazinho. A Comissão pediu a Seduc informações sobre a fundamentação dessa proibição, apontando artigo na Lei que trata sobre o tema, levando em consideração que existem outros repasses financeiros do Governo para alimentação escolar.

Envie seu Comentário

 

Comentários

  • 1
    image
    Carlson Lima 13/03/2019

    Se o aluno sem merenda não rende na hora de aprender. Será que os docentes sem merenda, irão render na hora de transmitir o conhecimento ao principal ator do processo de ensino? Vale alimentação é destinando ao profissional em um horário específico (almoço) por exemplo. Se o dinheiro investido na educação não fosse tal mal investido, o sistema funcionaria. O governo do coronel é um governo longe de que seus eleitores pensavam e esperavam.

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook