Inovações na Justiça: O Direito Sistêmico como meio de solução

“É preciso que estejamos em paz para que possamos oferecer paz as pessoas que necessitam do nosso trabalho”, disse o presidente do Tribunal de Justiça de Rondônia, Walter Waltenberg, ao se pronunciar durante o evento.

Assessoria de Comunicação Institucional
Publicada em 16 de April de 2018 às 13:05

O Direito Sistêmico como meio de Solução Pacífica de Conflitos foi o tema do Workshop realizado no último dia 12, pelo Centro de Estudos Judiciários do Conselho da Justiça Federal (CEJ/CJF), no auditório do Conselho da Justiça Federal, em Brasília e que contou com a participação de membros do Judiciário rondoniense. “É preciso que estejamos em paz para que possamos oferecer paz as pessoas que necessitam do nosso trabalho”, disse o presidente do Tribunal de Justiça de Rondônia, Walter Waltenberg, ao se pronunciar durante o evento.

Além de magistrados, também participaram do workshop membros do Ministério Público, defensores públicos, advogados e estudantes. A utilização de métodos alternativos com diretrizes das Constelações Familiares como elementos conciliadores em conflitos foi amplamente explanada no evento.

O TJRO é pioneiro na formação Constelação Familiar para magistrados. A partir da experiência trazida pela juíza Sandra Silvestre, hoje juíza auxiliar da Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça e da juíza Silvana Freitas, juíza auxiliar da presidência do TJRO, se abriu essa possibilidade, que segundo o presidente da Instituição, Walter Waltenberg, mostra a importância “de nos curarmos primeiro para depois oferecermos a cura durante a prestação jurisdicional”.

De acordo com o presidente, “isso trouxe um novo universo para nós, um novo conhecimento, pois cada vez que promovemos uma conciliação, nós diminuímos do nosso escaninho digital um processo para o judiciário, razão pela qual continuamos adotando, de forma institucional, a Constelação Familiar, que vem mostrando soluções mais ágeis que o caminho processualmente natural, seja ele cível, trabalhista, criminal ou de rito federal”, observou o magistrado.

Envie seu Comentário

 

Comentários

  • 1
    image
    Henry 16/04/2018

    Mais paz para que? a busca da tutela jurisdicional está cada vez mais difícil, diante dos vários obstáculos criados pelo próprio Judiciário Local, como aumento das custas processuais, desmedido rigor na concessão da justiça gratuita, utilização de despachos "padronizados" desassociados da pretensão deduzida em juízo, no intuito de retardar o exame (simples leitura) do pedido formulado, causando prejuízo a parte, enfim contribuindo de forma considerável para que o principio da duração razoável do processo, elevado à garantia constitucional, seja desprezado.

  • 2
    image
    O GUARDIÃO 16/04/2018

    TUDO BALELA. TANTO O JUDICIÁRIO COMO O MP SÃO FORMADOS POR UMA CASTA. OS JUÍZES E PROMOTORES SEQUER SAEM DAS BLINDAGENS DOS SEUS GABINETES PARA SENTIR O CHEIRO OCRE DO POVO PARA SENTIR SUAS REAIS NECESSIDADES E TOMAR DECISÕES DENTRO DA REALIDADE SOCIAL.

Envie seu Comentário

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook