Lei estadual reconhece necessidade de porte de arma dos vigilantes da segurança privada

Nova legislação busca dar melhor condição de proteção à vida desses profissionais que no exercício de suas funções defendem vidas e patrimônios

Vanessa Moura Fotos: Daiane Mendonça Secom - Governo de Rondônia
Publicada em 14 de maio de 2022 às 11:17
Lei estadual reconhece necessidade de porte de arma dos vigilantes da segurança privada

Medida deve inibir represálias de criminosos e promover o zelo pela integridade física desses profissionais

Diante do risco da atividade, o governador Marcos Rocha sancionou, nesta quinta-feira (12), a Lei n° 5.343, que reconhece a efetiva necessidade do porte de armas de fogo aos vigilantes integrantes de empresas de segurança privada. A nova legislação busca dar melhor condição de proteção à vida desses profissionais que no exercício de suas funções defendem vidas e patrimônios. A medida deve inibir represálias de criminosos e promover o zelo pela integridade física desses profissionais.

O projeto de lei foi de autoria do deputado estadual Jair Montes e a iniciativa foi prontamente defendida pelo Poder Executivo Estadual. A lei acolhe a demanda da categoria que pedia pela ampliação das condições de defesa em situações de risco fora do ambiente de trabalho, uma vez que trata-se de profissionais com aptidão psicológica e capacidade técnica.

A lei ainda reforça que o porte de arma pelos vigilantes deve seguir as normativas previstas nos termos da Lei Federal n° 10.826, de 22 de dezembro de 2003, que dispõe sobre registro, posse e comercialização de armas de fogo e munição, sobre o Sistema Nacional de Armas (Sinarm) e define crimes.

Envie seu Comentário

 

Comentários

  • 1
    image
    Carlos Moreira 15/05/2022

    Mais peão armado pelas ruas. Mais mortes, mais violência, mais armas no meio da população. Mestre boso e a indústria de armas sendo apoiada pelo montes de coca.

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook