MMA inicia medidas para ajudar Rondônia a encerrar todos os lixões até 2022

​​​​​​​Com um investimento de R$ 12 mi, Rondônia deve ser o 1º estado da Amazônia Legal a zerar lixões em atividade

Ascom MMA
Publicada em 01 de junho de 2020 às 17:14
MMA inicia medidas para ajudar Rondônia a encerrar todos os lixões até 2022

© Arquivo/Maira Heinen/Radio Nacional

Em comemoração à Semana Nacional do Meio Ambiente, o Programa Lixão Zero, do Ministério do Meio Ambiente, apresenta um projeto para encerrar os mais de 10 lixões existentes em Rondônia até 2022. Com a iniciativa, RO deve ser o primeiro estado da Amazônia Legal 100% livre dos lixões e será modelo a ser seguido na região.

Para suprir a falta de infraestrutura e de viabilidade técnica e econômica para operar individualmente, o projeto foi construído a partir do estabelecimento de arranjos regionais e consórcios entre os municípios. As soluções compartilhadas oferecem ganho de escala e redução dos custos.

Com a medida, os lixões em funcionamento em onze municípios serão eliminados, são eles: Alvorada D'Oeste, Candeias do Jamari, Castanheiras, Colorado do Oeste, Costa Marques, Guajará-Mirim, Jaru, Mirante da Serra, Nova Mamoré, São Francisco do Guaporé e Vale do Paraíso.

Hoje, só estes municípios descartam cerca de 50 mil toneladas de lixo por ano nos lixões em atividade. Isso provoca uma série de impactos para a saúde da população e para o meio ambiente, como a poluição de águas superficiais e subterrâneas e a contaminação do solo.

A iniciativa visa impedir esse contínuo aporte de resíduos sólidos no meio ambiente e implementar a destinação ambientalmente correta do lixo descartado. Além disso, as unidades de triagem que serão construídas possibilitam um melhor reaproveitamento dos materiais recicláveis. Também traz melhorias nas condições de trabalho e incremento da renda dos catadores.

Neste projeto, constam tecnologias simples e eficientes, com o melhor aproveitamento dos resíduos secos e orgânicos. Com isso, serão viabilizadas a construção de usinas de triagem e compostagem, unidades de transbordo e a aquisição de equipamentos. A intenção é de que apenas os rejeitos sejam encaminhados para os aterros sanitários, conforme preconizado pela Política Nacional de Resíduos Sólidos.

O projeto faz parte do Programa Nacional Lixão Zero lançado, em 2019, pelo Ministério do Meio Ambiente e está inserido na Agenda Nacional de Qualidade Ambiental Urbana, que trata dentre outros temas, da gestão de resíduos sólidos.

Envie seu Comentário

 

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook