Rapazes compram drogas para revender, apanham e ainda acabam presos

Parte do entorpecente foi adquirido dentro de casa noturna no centro da cidade

Jéssica Chalegra/Folha do Sul
Publicada em 11 de setembro de 2019 às 10:51
Rapazes compram drogas para revender, apanham e ainda acabam presos

Em Vilhena, dois suspeitos de tráfico de drogas foram presos na madrugada da terça-feira, 10, pela Polícia Militar após uma denúncia anônima. Eles transitavam pela avenida Celso Mazutti, quando foram abordados. Além de substâncias, portavam também uma quantia em dinheiro e apresentavam sinais de embriaguez.

A polícia foi acionada por uma pessoa que estava no pátio de um posto de combustíveis, na saída de Vilhena, e relatou que quando dois homens foram pagar a conta, da carteira de um deles caiu uma porção que aparentava ser cocaína. Para os policiais foram passadas as características físicas dos suspeitos, então se iniciou uma busca por eles.

Os rapazes, que têm 27 e 22 anos, foram abordados na avenida Celso Mazutti, dentro de um carro que era dirigido pelo mais novo. Ao fazer o teste do bafômetro, deu um resultado de 0,35 mg/l. 

Ao fazer buscas dentro do veículo, foi encontrada uma porção de 1,8 gramas de uma substância que aparentava ser maconha e também um comprimido análogo ao Ecstasy. Já em revista pessoal, com o mais velho estavam 3,3 gramas de algo semelhante à cocaína.

Já o mais novo contou que comprou 50 gramas de maconha dentro de uma casa noturna na região central de Vilhena, de uma pessoa para quem foi apresentado lá dentro. 16 gramas de produto foram vendidas para um homem só, por um valor de R$ 50.

O de 27 anos disse tem adquirido a cocaína na praça do bairro São José, de uma pessoa que é conhecida como “Zica” e “Pequeno”. Disse ainda que ele e o amigo com quem estava na hora da abordagem foram até uma conveniência de um posto, na avenida Major Amarante, onde venderiam parte da droga.

Porém, quando saíam do local, foram cercados por cinco pessoas, que passaram a agredir o rapaz de 22 anos. Quando o amigo saiu em sua defesa, também foi alvo das agressões e de golpes de madeira. Ambos ficaram machucados após a confusão. Eles contaram que, ao fugir dos agressores, foram para o posto na saída de Vilhena, pouco tempo antes de serem abordados pela guarnição.

Diante dos fatos, receberam voz de prisão e foram levados para a Unisp (Unidade Integrada de Segurança Pública), junto com as drogas e R$ 982. O veículo em que estavam foi recolhido para o pátio da Ciretran, já que tinha a documentação atrasada.

Envie seu Comentário

 

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook