Bloco Pirarucu do Madeira terá Asfaltão, Quilomboclada e Banda Puraqué

O Pirarucu do Madeira desfila no próximo domingo com diversidade de ritmos e forte tradição cultural regional

Blog Luciana Oliveira
Publicada em 14 de fevereiro de 2020 às 10:08

Uma pororoca cultural é o que promete o bloco mais democrático do carnaval de Porto Velho.

O Pirarucu do Madeira desfila no próximo domingo com diversidade de ritmos e forte tradição cultural regional.

A concentração para o desfile começa a partir das 14 horas com a bateria Pura Raça da Escola de Samba Asfaltão, tricampeã do carnaval.

Em seguida entra a banda Quilomboclada com a MPBÉRA, música que exalta a identidade beradeira e afro-indígena.

A banda Puraqué libera o desfile com frevos, marchinhas e sambas e este anos conta com a participação especial do grupo As Pastoras.

Vão junto outros três bloquinhos: Os Bocudos, Eu Te Avisei e Tambaqui É Melhor Que Salmão.

A Comenda Mérito Cultural Bloco Rei da Selva, do Waldemar Cachorro, na categoria Selo Prata, será entregue pela Associação Cultural Rio Madeira, em parceria com o Programa Viva Rondônia, do Anisinho Gorayeb, ao casal de beradeiros botocudos Ernande Segismundo e Luciana Oliveira, que receberão a homenagem em nome de todo o bloco.

“O PIRARUCU não é um bloco qualquer, é um Estado de Espírito em são Devaneio! Nas suas 27 primaveras de muita folia sem pé nem cabeça, o Pirarucu é uma Aquarela Brasileira, exalando os cinquenta tons do arco-íris, com cheiro de Terra e de Povo frevando ao som dos batuques e clarins como uma horda de doces bárbaros bailarinos saltitando ao sabor da alegria, vendendo sonhos e paixões e levando para as ruas e becos o translúcido espírito de Macunaíma!”, escreveu Antônio Serpa do Amaral.

A tradição do bloco em homenagear um elemento ou ritmo da cultura popular brasileira se cumprirá com foco nos povos indígenas.

O objetivo é defender os territórios e exaltar o valioso patrimônio étnico e cultural de mais de 30 povos que vivem em aldeias espalhadas por todo o estado.

O bloco vai levar ao circuito carnavalesco da Pinheiro Machado os dois primeiros frevos indígenas do estado.

Em frente à Taba do Cacique, estabelecimento histórico onde o bloco foi fundado há 27 anos, haverá parada com homenagem a Carmênio Barroso.

O artista plástico Ismael Barreto é o responsável pela alegoria de um pirarucu de 10 metros de comprimento e dois novos bonecos gigantes.

“Esse Pirarucu tá esfomeado de alegria. O povo precisa de momentos mágicos, seguros e alegres como tentamos oferecer com o bloco. A vida sem confraternização popular ninguém aguenta”, disse o presidente Ernande Segismundo.

O desfile está previsto para as 16 horas, na avenida Pinheiro Machado, ao lado do ginásio Cláudio Coutinho.  

Envie seu Comentário

 

Comentários

    Seja o primeiro a comentar

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook