Prefeitura está atenta para acolher venezuelanos em Porto Velho

Município vai auxiliar com ações de saúde, educação e cadastro para emprego.

Comdecom
Publicada em 21 de janeiro de 2019 às 10:08
Prefeitura está atenta para acolher venezuelanos em Porto Velho

Além do trabalho rotineiro, de acolher pessoas de todo o Brasil e também estrangeiros, a Prefeitura de Porto Velho, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social e da Família (Semasf), está acompanhando de perto a ‘Ong Cáritas Diocesana’, ligada à Igreja Católica, que recebe mais 202 venezuelanos.

Os primeiros 100 venezuelanos já chegaram e foram imediatamente acolhidos. O projeto é custeado pelos Estados Unidos da América, mediante parceria da Cáritas com a Organização das Nações Unidas (ONU). Mais 102 estão sendo aguardados e também receberão apoio do Município.

“Mantivemos diálogo com a Cáritas, atendendo determinação do prefeito Hildon Chaves, que está bastante sensível a essa questão. Além do diálogo, estamos nos colocando à disposição, naquilo que a política de assistência social deve ajudar”, afirmou o secretário Claudi Rocha (Semasf).

Mais apoio

Esta semana, as secretarias de Assistência Social (Semasf), Educação (Semed), Saúde (Semusa) e Sine Municipal, juntamente com a Caritas, devem traçar novas metas de ação. O objetivo é inserir as crianças na escola, cadastrar as famílias em programas sociais, prestar atendimento de saúde e cadastro para emprego.

“Estamos buscando diálogo com o Estado. Vamos sentar e fazer o possível e o impossível para que esses venezuelanos encontrem, aqui, a oportunidade de recomeçarem a vida, até que o país deles saia dessa situação”, acrescentou Claudi Rocha.

Envie seu Comentário

 

Comentários

  • 1
    image
    Indignação 21/01/2019

    Dia 20/01/2019 as 15:00hs, estive na Unidade de Saúde Básica Ana Delaide, e ouvi da Enfermeira de Plantão: Vou ser sincera com vocês: Temos uma única médica hoje, que não está dando conta da demanda. A pressão do seu esposo que está com 14/10 está normal, e estamos atendendo apenas casos de "facadas", "quedas", "cortes"...casos urgentes! Estive na Unidade acompanhando meu esposo, com fortes dores abdominais, tosse seca, diarreia e é hipertenso...saímos de lá sem atendimento, pois entenderam que o caso não era urgente e por ter apenas UMA MÉDICA! Às 22:00hs, fomos a UPA Av. Mamoré, pois tomando Buscopan em casa, as dores não sessaram, e para nossa alegria, NÃO TIVEMOS ATENDIMENTO, OU SEJA, NENHUM MÉDICO! Município vai auxiliar com ações de saúde, educação e cadastro para emprego, PARA VENEZUELANOS? Impossível!!!! Se nem para os que estão aqui a Prefeitura não está suprindo...Sinceramente!

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook