Rocha desabafa e diz que leis têm que mudar

As Leis precisam ser alteradas!”. Foi mais longe: “é o dilema da polícia brasileira: se prende, a legislação solta no outro dia. Se mata em legítima defesa, o policial é condenado de todas as formas possíveis (mídia e justiça)

Sérgio Pires
Publicada em 14 de outubro de 2020 às 20:23
Rocha desabafa e diz que leis têm que mudar

O caso da operação policial na busca dos assassinos de PMs de Mutum Paraná, continua repercutindo. Vale a pena registrar alguns comentários, aliás, parte deles eivados de emoção, do governador Marcos Rocha, num longo texto publicado nas redes sociais. Começou criticando duramente “falas irresponsáveis”, tentando desqualificar a ação policial “apenas para uso político, é uma desumanidade!”. Rocha, que é PM, diz que enviar as forças para o local, sem planejamento e sem inteligência, “seria confete para enganar a população e traria, possivelmente, mortes em vão. Em vão, pois não trarão justiça se não tivermos o resultado”. Mais adiante, o Governador destacou outro aspecto importante. “Todos nós estamos cansados desse Estado que protege os marginais. Estamos cansados de assistir cenas assim! Esse tipo de movimento, torna-se quadrilha ao organizar invasão e matar pessoas. As Leis precisam ser alteradas!”. Foi mais longe: “é o dilema da polícia brasileira: se prende, a legislação solta no outro dia. Se mata em legítima defesa, o policial é condenado de todas as formas possíveis (mídia e justiça). E se o soldado morre, há apenas a comoção da sociedade. Para o resto, a morte cai no campo do esquecimento”.

Envie seu Comentário

 

Comentários

  • 1
    image
    Selma 15/10/2020

    No meu ponto de vista a única classe que o governador defende são a dos policiais. Mudar legislação ou melhorar a aplicação dos direitos? Como servidora do Estado , na função de técnico em enfermagem no Hospital João Paulo, assistimos todo dia a mesma conversa de valorização do servidor. Servidor este que recebe menos que um funcionário da limpeza. Salário defasado, sem insalubridade. Aguardando a tanto tempo a tal revisão do PCCR.

  • 2
    image
    Arismar de Souza Rodrigues 15/10/2020

    Engraçado senhor Governador! A lei tem que mudar, mas vocês mesmos não a cumprem quando se trata de pagar o que é direito de um servidor da saúde. O senhor já pegou seu contra-cheque e comparou com o de um técnico de enfermagem? Faça isso e depois venha me falar sobre alterar leis!

  • 3
    image
    Marcos Britto 15/10/2020

    A verdade é que, o Governador está certíssimo, tem que mudar as leis...e assim já começa a praticar no Governo do Estado,cumprindo os acordos com os profissionais de SAÚDE, como pagamento da insalubridade, assim que o funcionário assumir e trabalhar nos hospitais, e ficar expostos as demais doenças,como o coronavírus,por exemplo,e não precise entrar na justiça e ter que pagar Advogado,e que haja o cumprimento da efetivação do PCCR da Saúde,prometido para setembro, que não foi cumprido,e que o aumento de 5,8% em 2013, que seja estendido a todas as gratificações,pois só quem recebeu foi os filiados do sindisaúde,depois de recorrer a justiça, quando é constitucional, que o hospital João Paulo II, não mais tenha pacientes nos corredores, que o salário seja digno, pois paga-se o pior salário do país,independente, boa sorte Governador, Rondônia está no caminho certo,embora os funcionários da saúde, ao que parece,vai continuar à deriva,tornando-se a greve, o pior caminho,nesse momento!

  • 4
    image
    Henry 15/10/2020

    Verdade governador! Vamos exigir da bancada federal a aprovação da PEC que autoriza a prisão de após condenação em 2º grau. Vamos ver quem está ao lado da sociedade.

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook