RONDÔNIA: A EDUCAÇÃO, A PANDEMIA E A ESTUPIDEZ...

Como, certamente, o governador não faz a leitura dos boletins que o governo dele publica, vale a pena comentar sobre alguns dados, para seus asseclas perceberem que somente uma pessoa muito estúpida sugere aulas presenciais em escolas públicas, neste momento...

Francisco Xavier Gomes
Publicada em 03 de fevereiro de 2021 às 09:19
RONDÔNIA: A EDUCAÇÃO, A PANDEMIA E A ESTUPIDEZ...

O governo Marcos Rocha, desde os primeiros meses, já dava nítidos sinais de que seria uma geringonça incomensurável, mas a pandemia da covid-19, transformada em sindemia pelo dublê de coronel, indubitavelmente contribuiu de modo significativo para que fosse instalado o “Samba-do-Criolo-Doido” em Rondônia. A recente decisão do governo da onagrocracia de retornar às aulas presenciais é prova cabal de que esse governo não  possui nenhum respeito pela população do estado e muito menos pelos trabalhadores e trabalhadoras da educação pública. Os dados publicados diariamente no próprio portal do governo de Rondônia e todos os decretos assinados pelo Coronel do Pé Quebrado deixam claro que não existem condições sanitárias para as aulas presenciais, neste grave momento em que o estado se encontra. Como, certamente, o governador não faz a leitura dos boletins que o governo dele publica, vale a pena comentar sobre alguns dados, para seus asseclas perceberem que somente uma pessoa muito estúpida sugere aulas presenciais em escolas públicas, neste momento...

Esta semana, o governo publicou um novo decreto, flexionando, pela enésima vez, a circulação de pessoas nas ruas, e claramente influenciado por pessoas que, como ele, não leem os boletins da Covid-19. Vejamos: Até o dia 31 de dezembro de 2020, houve 1.817 óbitos em Rondônia, em consequência da doença em questão. Considerando que a doença registrou o primeiro óbito em Rondônia no dia 30 de março de 2020, apenas nos primeiros 30 dias de 2021, a Covid-19 matou muito mais pessoas no estado. Basta observar que nos primeiros 30 dias deste ano, morreram 464 pessoas em decorrência da sindemia. Estes números soam absurdos, se comparados à média de morte de 2020, que era de menos de 200 óbitos mensais, considerando-se o inicio do decreto de estado de calamidade. Não é possível que a equipe de governo não conheça esses números, visto que o Secretário de Saúde de Rondônia e o governador viajam frequentemente o estado fazendo propaganda política pessoal e promovendo pirotecnia em todos os rincões do estado embrionado pelo coronel Humberto da Silva Guedes e tão bem administrado pelo coronel Jorge Teixeira. Claro que divirjo de diversos atos do Teixeirão, mas a alusão tem a finalidade de isentar os coronéis de verdade...

A situação da sindemia em Rondônia pode ficar muito mais grave, porque o Secretário Chefe da Casa Civil apareceu esta semana e declarou em vídeo que as escolas públicas devem retornar às atividades presenciais com turmas de 3º ano do Ensino Médio e turmas de 9º ano do Ensino Fundamental. Isto significa que, na opinião do governo de Rondônia, estudantes destas séries não correm nenhum risco de contaminação e profissionais da educação que lidam com alunos dessas séries não fazem parte de nenhum grupo de risco. Raciocínio absolutamente estúpido!!!! A juventude promove baladas dia e noite em todos os municípios de Rondônia e certamente muitos idosos que nunca saíram de casa já foram contaminados e mortos por causa da movimentação da juventude. As pessoas que frequentam escolas, não importa a série, possuem relações sociais, com familiares e amigos. Estudantes podem ter covid-19, sim!!! A forma como “pensa” esse governo sugere que os profissionais da educação não possuem a menor importância para o coronelismo de Marcos Rocha. A notícia de voltar às aulas presenciais no momento mais crítico da sindemia foi dada pelo Chefe da Casa Civil. Lógico! Suamy Lacerda, o dublê de secretário da educação, certamente ficou com vergonha de falar isso para os profissionais da educação, porque, embora ele tenha ficado décadas fora de sala de aula, é chamado de professor por muitos rondonienses, principalmente pela população de Itapuã do Oeste...

O decreto de Marcos Rocha também deixa claro que em escolas não há risco de contaminação, mas nos gabinetes onde circulam seus assessores e asseclas existe risco. Isto, porque o decreto mantém o serviço chamado de “Home Office” para muitos servidores que não lidam com milhares de estudantes por dia. Suamy Lacerda, o dublê de secretário, deveria pedir aos seus asseclas que apresentem a ele o número de servidores da educação que fazem parte de grupos de risco e o número de servidores mortos pela Covid-19. Com esses dados nas mãos, ele deveria consultar profissionais da área de Medicina, não o Chefe da Casa Civil, sobre os riscos da volta de aulas presenciais. Certa vez, Albert Einstein teria dito que, para ele, duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Sobre a estupidez humana, Einstein afirmara que tinha dúvidas sobre o grau de infinitude. Marcos Rocha, o Chefe da Casa Civil e Sumay Larcerda estão entre as pessoas que mais contribuíram para que Albert Einstein morresse com essa dúvida... Tenho dito!!!

FRANCISCO XAVIER GOMES

Professor da Rede Estadual e Jornalista

Envie seu Comentário

 

Comentários

  • 1
    image
    Luiz Recktenwald 04/02/2021

    Boa dissertação acerca da polêmica questão do retorno às aulas presenciais.  Condenável, inverídica e torpe é a crítica da Sra. Gelzelia Pereira. Sua irresponsável e mentirosa crítica à atuação do Sintero chega a dar nojo. Sou filiado ao Sintero desde sua fundação e este Sindicato sempre procurou, e conseguiu, colocar no centro de sua atuação a intransigente defesa dos direitos de todos os seus sindicalizados. Tanto é que o Sintero é reconhecido por todas as pessoas sensatas como o melhor, mais combativo e eficiente Sindicato do estado de RO. Afirmar que o Sintero assiste passivamente aos desmandos do governo contra os servidores, é uma mentira deslavada, eivado de má-fé. Respeite o Sintero, desinformada Sra. Gilzelia! Seja opositora, mas não mentirosa!  Isso não cabe no seio da Educação rondonienses. 

  • 2
    image
    Gilzelia Pereira 03/02/2021

    Vi uma postagem que alguém dizia: Ainda bem que o governo tem o Sintero. A omissão sindical é explícita nesta pandemia e bem antes dela, o governo faz o que quer com os servidores públicos da educação e o sindicato assisti passivamente. O Sintero precisa tomar partido pelos servidores da educação. Neste momento é preciso mudar o estatuto do sindicato criando um ou dois artigos a mais em assembleias, um desses artigos poderia deixar claro que nenhum membro da diretoria permaneça mais de dois mandatos mesmo com alternância de cargos. Presidente 2 mandatos não pode concorrer em nenhuma função dentro da nova diretoria, ou seja, serve para todos os membros da diretoria, eu conheço membros do sindicato desde 1998 quando cheguei em Rondônia somente trocando de cargos ou funções e tudo que se perpetua no poder gera desconfiança e facilidade para o governo. Bora tentar criar novos artigos senhores(as) filiados(as)? Parabéns Professor Xavier pelo artigo esclarecedor.

  • 3
    image
    Carlos 03/02/2021

    Com o sistema de saúde em colapso porque não abrir as escolas? Que excelente ideia. SQN

  • 4
    image
    Nilton 03/02/2021

    Grande Prof. XAXIER, às incógnitas da SEDUC são manifestações pelo silêncio, o maior orçamento do governo é da pasta da educação, os fornecedores estão dando os ditames, as regras, danado as cartas na mesa. Parabéns XAVIER pela alerta, a sociedade de Rondônia não merece tamanha estupidez da volta as aulas presenciais....

  • 5
    image
    Neiva 03/02/2021

    Quem manda no retorno das aulas presenciais são os fornecedores do aparelho estatal, estão incomodados por não operarem na sua totalidade, é notório que os óbitos para os ordenados de despesas não contemplão as estatísticas sanitárias, toda obdiência cega para esta gente é desprovida da Razão [...]. Parabéns XAVIER

  • 6
    image
    Solage 03/02/2021

    É lamentável tudo isso em plena pandemia, a estupidez desta gente extrapola a razão, lamentável que os fornecedores é quem dita as regras deste governo. É Lamentável que o SINTERO não judicialise esta estupidez de aulas presenciais...

  • 7
    image
    Silvia 03/02/2021

    Parabéns professor Xavier, obediência cega dos ordenados de despesas do aparelho ideológico de Estado, governo de um só mandado [...].

Envie Comentários utilizando sua conta do Facebook

A verdade sobre a AROM

A verdade sobre a AROM

A eleição da AROM foi legítima. Foi dado direito a todos concorrer ao cargo de presidente. Os excessos foram cometidos pelos quatro prefeitos cujos interesses vão além da instituição